VIAMÃO, 20/10/2021
Crise do coronavírus

Região Metropolitana testou 842 mil pessoas; Velha Capital tem o pior desempenho entre as cidades da Grande Porto Alegre | IMAGEM: Reprodução GZH

Em um ano de pandemia, Viamão realizou apenas 5,8 mil testes de covid-19 a cada 100 mil habitantes

por Redação - com informações de GZH | Publicada em 03/04/2021 às 00h| Atualizada em 12/04/2021 às 22h47

Viamão tem, oficialmente, 6.707 casos de COVID-19 identificados. O baixo número na comparação com cidades com população similar sempre levantou debate entre especialistas em Saúde sobre a estrutura de testagem de seus habitantes. Pois reportagem divulgada por GZH neste fim de semana apontam que a Velha Capital é a cidade da Região Metropolitana que menos aplicou o teste para identificar a circulação do vírus.

Dados obtidos por GZH junto as 12 prefeituras da Grande Porto Alegre revelam que em um ano de pandemia, foram realizados 842.465 testes — entre março do ano passado e a terceira semana de março de 2021, conforme dados do Ministério da Saúde. Juntos, os municípios têm 3,5 milhão de habitantes.

Viamão é a quarta cidade mais populosa da Região Metropolitana, com 255 mil moradores (de acordo com estimativas do IBGE). Durante todo o período da pandemia foram feitos 14.889 testes. E as contas feitas pela reportagem de GZH mostra que são apenas 5.834 testes a cada 100 mil habitantes, o que faz da Velha Capital a cidade com mais de 100 mil moradores que menos testou na Região Metropolitana.

A matéria ainda compara os números locais com Eldorado do Sul, a menos populosa entre os 12 municípios, com 41 mil moradores. Por lá foram realizados 12.152 testes, apenas 2,7 mil a menos que Viamão, onde a população é seis vezes maior.

GZH segue e joga luz na dúvida, levantada pelo DV no início desta matéria, sobre o baixo números de casos confirmados:

"Mais uma vez, não coincidentemente, Viamão figura positivamente no ranking de incidência de casos e óbitos, não por necessariamente por combater bem a pandemia, mas por testar pouco. É a cidade com menos casos para cada 100 mil habitantes, são 2.510. Fica bem atrás de Guaíba, com 4.632 caos por 100 mil moradores, mas apenas 98 mil moradores. E é a segunda com menor incidência de óbitos, 162,2 a cada 100 mil moradores, atrás apenas de São Leopoldo, que tem uma população parecida, 236,8 mil moradores, mas um nível de testagem bem superior aos 5,8 mil de Viamão. Lá, a média é de 24.070 testes para cada 100 mil moradores."

Comparando com a média nacional apontada no estudo da Fiocruz de janeiro deste ano, de 11,3 mil testes a cada 100 mil habitantes, nove cidades estão acima deste índice. As três abaixo são Gravataí (10.706 testes por 100 mil moradores), Guaíba (9.725) e a que menos testa, Viamão (5.834).

A reportagem traz também a opinião de especialista: Para o médico infectologista do Grupo Hospital Conceição (GHC), Luciano Lunardi, a média de testes por 100 mil habitantes é baixa. Segundo ele, países próximos, como Argentina e Colômbia, conseguiram taxas maiores. A nível mundial, Nova Zelândia e Canadá são exemplos. Em relação a Esteio, o médico aponta que a incidência de casos e óbitos na cidade está diretamente ligada com a testagem elevada dos moradores.

— Em relação a Viamão, acaba se tendo uma incidência menor, mas sem a real visão da situação da doença na cidade — apontou o infectologista do GHC para GZH.

Isso porque o nível de testagem pode estar contemplando somente doentes mais graves, que precisam do teste, e não contactantes que podem ter sintomas leves ou até serem assintomáticos.

 

O que diz a Prefeitura

 

Para GZH, a Prefeitura de Viamão afirmou que "nos primeiros três meses deste ano, foram 8.634 testes realizados — 58% do total. Ou seja, só em 2021, foram realizados mais testes do que durante todo ano passado".

— O momento grave pelo qual Viamão passou em 2020 deixou a população desamparada e o sistema de saúde totalmente inoperante. Era necessário um choque de gestão e de comportamento. Entendi que cabia ao chefe do Executivo assumir essa responsabilidade, dando sustentação e liderando esse processo junto às equipes técnicas que estão desempenhando um excelente papel — diz o prefeito Valdir Bonatto, que também é secretário de Saúde.

Bonatto também citou ações de sua gestão como a reformulação da atenção em COVID-19 na cidade a partir da definição de nove Unidades Básicas de Saúde (UBSs) como  referência em coronavírus — atendendo, testando e vacinando. Antes, somente a única Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) e o único hospital da cidade atendiam e testavam. "Somente em março, foram atendidos 7.119 casos suspeitos de covid-19 nas UBSs, mais de 7 mil pessoas que deixaram de procurar a UPA, o hospital ou até a rede de Porto Alegre, por terem sido atendidas na sua região", pontua a prefeitura em nota.

O prefeito fecha afirmando a GZH que o município adquiriu 6 mil testes RT-PCR, não dependendo mais totalmente da testagem do Laboratório Central do Estado (Lacen-RS).

"Com a demora do Lacen em informar resultados, entramos com testes nossos também, cujos resultados ficam prontos em até 48 horas depois da coleta. Os resultados passaram a ser entregues na própria UBS de referência, evitando deslocamentos desnecessários das pessoas testadas", respondeu a Prefeitura em comunicado.

 

Onde testar em Viamão:

 

Nove UBS ofertam testes na cidade:

Esmeralda, São Lucas, São Tomé, Santa Isabel, Augusta Meneguine, Vila Elsa, Centro, Águas Claras e Itapuã.

Nas UBS São Lucas, São Tomé, Santa Isabel, Centro e na UPA, o paciente pode saber do resultado em até 48 horas.