Sexta-feira, 18 de JUNHO de 2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Crise do coronavírus

EDIÇÃO DE VÍDEO: Guilherme Klamt | IMAGEM: PMV

Prefeitura aguarda Justiça para liberar vacina a profissionais da Educação - o plano e a promessa

por Cristiano Abreu | Publicada em 12/05/2021 às 00h| Atualizada em 17/05/2021 às 10h36

A urgência é unanimidade entre os coerentes, e os esforços merecem elogios até mesmo por parte dos negacionistas. Contudo, a vacinação de 100% dos profissionais da Educação enfrenta entraves importantes.

Na manhã desta quarta-feira (12), o prefeito Valdir Bonatto anunciou, em live, o desejo de imunizar todos os trabalhadores das escolas da rede municipal de Viamão. A iniciativa contemplaria cerca de 2,2 mil servidores, incluindo os terceirizados. Ou seja, professores, pessoal do administrativo, porteiros, serventes, todo mundo que está pisando nas estruturas de ensino da Educação Infantil e do Fundamental desde o retorno ao sistema presencial seria imunizado.

O chefe do Poder Executivo local afirmou na transmissão via rede social que as secretarias de Saúde e Educação trabalham em conjunto para iniciar a vacinação na próxima segunda-feira (17). Posteriormente, houve até divulgação de um cronograma dividido por atividades desempenhadas, começando por quem atua em sala de aula.

Mas até o momento, tudo é apenas planejamento, possibilidade, desejo. Há vacina sobrando na mesma proporção da incerteza.

O alerta vem de dentro da Prefeitura mesmo. Isso porque não há segurança jurídica. A administração de Viamão aguarda posições de Ministério Público, do governo do Estado e de esferas federais do Judiciário. O temor é de responsabilização penal por desobediência ao cronograma de vacinação imposto pelo Ministério da Saúde.

Fonte na Gestão afirma que Viamão deposita esperança no Ministro Ricardo Lewandowski, do STF. É uma torcida para que ele se manifeste e todas as as barreiras sejam levantadas antes do dia 17.

Bonatto está entre a cruz e a espada. Bancou a reabertura das salas de aula, despindo um santo para vestir outro. Atendeu ao desejo de uma parcela de pais e empresários do ramo - da tia da vendinha na porta do colégio ao dono de escola privada - e descontentou a muitos educadores. Exatamente por compreender isso, é que busca a saída mais sensata - a vacina.

Tudo tem ônus e bônus. Correndo atrás da máquina, a Prefeitura enxergou brecha na imunização das pessoas com comorbidades para contemplar os professores. Mas a abrangência da medida foi curta: neste corte, cerca de 600 têm direito a receber a vacina.

A estratégia atual é mais ampla, mesmo assim não engloba trabalhadores das redes estadual e privada. Ou seja, a pressão sobre o prefeito continuará forte.

Ao fim, concordo que imuninizar é o melhor a fazer. Os professores e as crianças só perdem com essa distância. Em nenhum momento houve recusa em trabalhar - até porque jamais pararam durante a pandemia. Desde o início, mesmo quando anunciaram paralisação - os professores só desejam um pouco de segurança.

 

Sindicato comemora

 

O Sindicato dos Municipários de Viamão (SIMVIA) divulgou nota saudando a proposta da Prefeitura. Abaixo, trecho do texto assinado pela presidente Maria Darcila Tinoco.

"Hoje estamos felizes por termos conseguido fazer com que o governo entendesse nossa reivindicação, pois os profissionais da Educação serão vacinados a partir do dia 17. Mas a luta continua. Vamos aguardar nova agenda com o prefeito para discutirmos o restante das reivindicações relevantes aos municipários de Viamão."

 

Em vídeo

 

Eis a íntegra da live de Valdir Bonatto sobre a vacinação. A edição de vídeo é do Guilherme Klamt.

 

 

Leia também:

602 mortes, 7,6 mil casos e 44,1 mil vacinados com a primeira dose: os números da COVID-19 em Viamão

O que a CPI da COVID-19 encontraria em Viamão:

Rafael Martinelli: Cafajestes de Viamão, respeitem os professores!

Em assembleia, professores decidem por não retornarem às salas de aula; Prefeitura mantém reabertura para esta quarta-feira

 

 

Últimas

#PodcastdoDV
Abreu & Cast - EP 02 | Cristiano Abreu comenta o esquema de desvio de vacinas contra a COVID-19 em Viamão
Operação Galeno | Crise do Coronavírus
Polícia investiga atuação de organização criminosa em desvio de vacinas contra a COVID-19 e de medicamentos do SUS em Viamão
Operação Galeno | Crise do Coronavírus
Dois servidores da Prefeitura são presos por suspeita de desvio de vacinas contra a COVID-19 em Viamão
Crise do Coronavírus
Entenda o caso da ’vacina falsa contra a COVID-19’ em Viamão: o que dizem Prefeitura, Estado e Ministério Público
Seu bolso
Lideranças da Região Metropolitana criam movimento para evitar pedágio na RS-118; Viamão precisa mergulhar de cabeça
Crise do coronavírus
O marketing dos recuperados: e daí que são 6,9 mil? Acerta quem enxerga primeiro os casos ativos e os 630 mortos de Viamão
Pedágio
RS-040 volta à iniciativa privada, e isenção a placas de Viamão acabará; Após R$ 400 milhões de dinheiro público, 118 também será pedagiada
Crise do coronavírus - Um Ano de Agonia
Se investigasse, o que a CPI da COVID-19 encontraria em Viamão:
Crise do coronavírus
Em assembleia, professores decidem por não retornarem às salas de aula; Prefeitura mantém reabertura para esta quarta-feira
Crise do coronavírus
Professores em ’Estado de Greve’ em Viamão - Leite rasgou as bandeiras e bagunçou a vida dos educadores e das crianças
Crise do coronavírus
A mesma indiferença: Eduardo Leite rasga sistema de bandeiras e abre caminho para volta às aulas; Os mal-educados não se importam com os professores
Entrevista com vídeo
Dédo Machado: ’Estou em busca da verdade’

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS