Quinta-feira, 24 de SETEMBRO de 2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

sommelier

A cerveja faz muito bem para o seu corpo

Publicada em 01/08/2018 às 16h11| Atualizada em 05/07/2019 às 16h02

por Rafael Santos

O consumo moderado de cerveja pode trazer muitos benefícios à saúde - quase na mesma proporção que o consumo em excesso pode ser prejudicial. Beber menos e melhor é um estilo de vida que pode fazer muito bem ao seu corpo.

Proteção cardiovascular, saúde óssea, hidratação, controle do colesterol e da glicose... Vitaminas do complexo B, fibras, minerais, antioxidantes, carboidratos... Essa lista traz alguns - alguns! - dos benefícios e nutrientes da cerveja. Pesquisas vêm se desenvolvendo ao redor do globo para entender um pouco mais sobre suas qualidades nutricionais, e os resultados são bem positivos.

 

Doce lúpulo

Está exclusividade cervejeira  traz algumas vantagens - e não estamos falando apenas do amargor. Estudos do Prof. Denis de Keukeleire, da  faculdade de Farmácia da Universidade de Gante (Holanda) confirmam sua atividade antibactericida e anti-inflamatória. Mas as grandes estrelas nutricionais do lúpulo são os polifenóis: antioxidantes naturais, protegem contra a ação de radicais livres e favorecem a prevenção de doenças circulatórias.

 

Boa para o coração

Cerveja faz bem ao coração também no sentido literal, pois alguns de seus componentes têm papel cardioprotetor. Com moderação, o consumo do etanol (álcool) pode ajudar na prevenção de doenças cardiovasculares, como infarto do miocárdio e hipertensão arterial. O álcool aumenta o colesterol HDL (o ‘bom colesterol’), impedindo o acúmulo de gordura nas artérias, regulando a pressão arterial. A cerveja ainda possui ácido fólico, entre outras vitaminas do complexo B, vindas do malte, o que é valioso para prevenir doenças cardiovasculares por reduzir o vilão vascular ácido homicisteína (HCY) - bem menos concentrado em apreciadores.

 

Minerais para que te quero

Mais de 30 minerais estão presentes na cerveja: 1 litro fornece quase metade do magnésio recomendado por dia, 40% do fósforo e 20% do potássio. “O magnésio regula o metabolismo do músculo”, esclarece a nutricionista Fabiana Panobianco. A concentração de sódio é pequena, um alívio aos hipertensos. Já o silício favorece os processos de calcificação - um bom jeito de complementar a prevenção de osteoporose. Sem contar que é altamente diurética e hidratante - cerca de 90% de sua composição é água.

 

Ajudando a digestão

A cerveja ainda promove a secreção de suco gástricos - o gás carbônico favorece a circulação sanguínea da membrana mucosa bucal, da salivação, e estimula a formação do ácido estomacal, acelerando seu esvaziamento e facilitando a digestão. Também contém fibras, o que contribui para o trabalho intestinal. “Cervejas previnem a anemia e possibilitam significativo reforço imunológico”. Além disso, é pouco calórica: cada 100ml contém de 30 a 40 kcal. Os responsáveis pelos “quilinhos a mais” geralmente são os hábitos dos bebedores  - petiscos gordurosos e a falta de exercícios físicos são mais responsáveis pela barriguinha saliente do que as calorias da cerveja. vale ressaltar que os benefícios das cervejas são maiores se acompanhados de uma dieta equilibrada e de exercícios físicos regulares.

 

Sinal amarelo

Não vamos nos enganar: é o consumo moderado que traz benefícios. O consumo em excesso chega a reverter alguns deles. Doenças cardiovasculares são riscos constantes para quem abusa do álcool, além de problemas no fígado e todas as questões de ordem psicológica e social que envolvem o excesso de álcool. Moderação é a palavra que deve guiar o apreciador. Apesar de não ser um alimento completo, a cerveja é um valioso complemento nutricional.

Brindemos a isso!

 

Últimas 3º Neurônio

3º Neorônio
7 de Setembro: morte
3º Neurônio | ideias
Cultura do cancelamento: prática autoritária ou voz dos excluídos?
Opinião | Senador Paulo Paim
Mulher: desigualdade, preconceito, violência
3º Neurônio | ciência
Radiografia de três surtos de coronavírus: como se infectaram e como podemos evitar
3º Neurônio | ideias
Preservar vidas ou retomar a economia? Ética de Weber para tempos de pandemia
3º Neurônio | opinião
O nojo
3º Neurônio | comportamento
O luto pela velha normalidade: como superar o fato de que nossos projetos desapareceram
3º Neurônio | saúde
Médica fala sobre a ’hora da morte’: As pessoas morrem sozinhas; Sozinhas, sozinhas, sozinhas
3º Neurônio
Por que o bolsonarismo-raiz engendrado nos gabinetes do ódio não terá futuro no Brasil?
3º Neurônio | opinião
Bolsonaro fica nu ao se despir das três bandeiras que o levaram ao poder
3º Neurônio | Humor
Bugigangas pandêmicas
3º Neurônio | Saúde
Fazer exercícios físicos ao ar livre em meio à pandemia é seguro? Os riscos e cuidados necessários
3º Neurônio | Questões de quarentena
Bolsonaro cita CLT e sugere indenização a empregadores; advogados dizem que não é bem assim
3º Neurônio | opinião
O vírus somos nós (ou uma parte de nós)
3º Neurônio | comportamento
Conselhos dos esquimós contra o pessimismo
3º Neurônio | ciência
Estudo genético mostra por que vírus da covid-19 não foi feito em laboratório
3º Neurônio | arte
Explicando, série da Netflix, previu a pandemia do coronavírus
Opinião
Geometria de uma pandemia do coronavírus
Opinião
Ronaldinho Gaúcho e o irmão acreditaram que o Paraguai era terra de ninguém?
Humor
Informalizar é viver

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS