Sabado, 16 de OUTUBRO de 2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Opinião

Stela Farias | Proposta de pedágios do governo Leite vai cercar cidades

Publicada em 03/08/2021 às 00h| Atualizada em 03/08/2021 às 22h14

O Rio Grande do Sul investiu R$ 130 milhões em estradas nos últimos anos. Agora, o Governo Leite repete antecedentes históricos para entregar esses trechos à iniciativa privada, assombrando gaúchos e gaúchas com a retomada dos pedágios. Um verdadeiro soco no estômago do povo do Rio Grande. O modelo de concessão de rodovias dos governos liberais se baseia no discurso fácil de ser a solução definitiva para os problemas financeiros do Estado. Mas na verdade, o retorno atende apenas ao Mercado, sempre na defesa de políticas liberais, de privatizações e aniquilamento da estrutura do Estado, com cortes nos direitos sociais e do funcionalismo, nos recursos para saúde, educação e assistência social.

Leite é bolsonarista enrustido, e um militante dos interesses privados. E a afirmação do Secretário Extraordinário de Parcerias do seu governo, Leonardo Busatto, de que a ERS-118 poderá ficar mais 30 anos sem investimentos se não for concedida à iniciativa privada é uma ameaça direta do Governo. A entrega da ERS-118 em troca de simples manutenção da rodovia, penaliza a população com as cobranças abusivas numa lógica de exploração, que compromete o desenvolvimento dos municípios e dificulta a competitividade econômica da região. O Programa "Avançar”, batizado assim para mascarar o retrocesso que é a entrega das rodovias, promove um verdadeiro cercamento de pedágios pelas regiões do Estado.

O chamado "bloco 1", engloba o Vale do Gravataí e reúne Alvorada, Viamão, Glorinha e Gravataí. Segundo a proposta do governo esses municípios vão receber oito praças de pedágio, distribuídas pela ERS-020, em Morungava e Taquara, ERS-040 Viamão e ERS-118 em Gravataí. O plano avança para o Litoral Norte, abrangendo Santo Antônio da Patrulha e a Serra, com praças de pedágio em Parobé, Três Coroas, Gramado e São Francisco de Paula. Com isso, interliga as saídas em direção às principais regiões turísticas do Estado (Litoral e Serra), criando um verdadeiro cercamento com pedágios. Somente neste bloco serão 444,74 quilômetros de rodovias pedagiadas e mais de um milhão e meio de pessoas atingidas.

A proposta do governo prevê que as empresas dupliquem 666,20 quilômetros de rodovias, sendo apenas 22,20 quilômetros ao ano. Um verdadeiro absurdo, pois levará 30 anos, ou seja, todo período da concessão para se atingir a meta da duplicação. Outro descalabro serão os valores das tarifas, que ficarão entre R$ 5,28 e R$ 10,31, a depender do trecho e sem contar que teremos uma praça a cada 53 quilômetros.

No governo Tarso, a população gaúcha já havia feito a escolha do fim dos pedágios. Na ocasião, o governador foi eleito em primeiro turno para devolver ao Estado seu verdadeiro papel, que é o de estar ao lado da população, como um indutor do desenvolvimento de todas as regiões. Cabe agora, ao Povo gaúcho, indignado, levantar-se contra mais essa ameaça de exploração, fruto de uma ganância sem limites, e exigir que o Governo cumpra sua parte.

Outro aspecto pouco repercutido sobre os pedágios privados, é que sem eles, as empresas do entorno das praças conseguem reduzir consideravelmente seus gastos com logística o que repercute no aumento da geração de emprego e renda.

Há alternativas viáveis e econômicas que não sacrifiquem os motoristas e não empobreçam as regiões, um modelo diferente de pedagiamento, inspirado no comunitário, com tarifas reduzidas e as prioridades de obras definidas por meio do diálogo entre o governo e as regiões diretamente atingidas, que facilite o tráfego e induza desenvolvimento.

*Professora, deputada Estadual Suplente da Bancada do PT/RS

Últimas 3º Neurônio

Boletim da Receita
Fábio Salvador | Receita Federal arrecada mais de R$ 146 bilhões em agosto
Boletim da Receita
Fábio Salvador | Receita Federal concentra vários serviços em novo aplicativo para celulares
Reportagem especial
Luciano Hang, o empresário patriota que dribla os impostos no Brasil
Boletim da Receita Federal
Fábio Salvador | Leilão regional arrecadou mais de R$ 2 milhões
Boletim da Receita
Está aberta a consulta ao 5º lote da Restituição do IRPF 2021
Boletim da Receita
Receita Federal realiza leilão regional de bebidas apreendidas no Rio Grande do Sul
Boletim da Receita
Fábio Salvador | Arrecadação federal de julho registra alta histórica
Humor
Em Camboriú, a lógica do urbanismo já foi atropelada: em vez de baixar o gabarito da orla para preservar o sol na praia, lá eles espicharam a faixa de areia. Talvez um dia invistam em Poa
Boletim da Receita Federal
Fábio Salvador | Prazo para regularização dos MEI é prorrogado
Neurônio | Humor
Fraga | Meis de Lurphy
Boletim da Receita Federal
Fábio Salvador | Imposto sobre propriedade rural agora pode ser parcelado via portal e-CAC
Opinião
Miguel Rossetto | Retomar o trabalho, o emprego e a renda
3º Neurônio | humor
Fraga | Decálogo Caótico
Boletim de Receita Federal
Fábio Salvador | Isenção do IPI para compra de carros vai mudar - entenda
3º Neurônio | ideias
Bolsonarismo, um caso de amor
3º Neurônio | humor
Fraga | Invernidades
Boletim da Receita Federal
Fábio Salvador | Microempreendedores podem regularizar débitos com a Receita até o fim deste mês
Boletim da Receita Federal
Fábio Salvador | Aberta a temporada do ITR
Opinião
Stela Farias | Proposta de pedágios do governo Leite vai cercar cidades
3º Neurônio | humor
Fraga | Cronometragens

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS