Quarta-feira, 15 de JULHO de 2020

Publicidade

Publicidade

Facebook

Quem explica?

Câmara aprova uma lei, Russinho sanciona outra: O que há por trás da reposição salarial dos servidores

Publicada em 16/05/2020 às 00h| Atualizada em 18/05/2020 às 13h03

O papel do jornalista é checar. E sobretudo, informar o que descobre. Embora governos autoritários, como o atualmente empossado no Brasil, não aceitem, a Imprensa não pode se limitar a reproduzir o discurso oficial - Isso é assessoria de comunicação, não jornalismo.

Pois nem bem esfriou a coluna anterior sobre a confusão que a Prefeitura faz a cada decreto sobre o coronavírus, trago mais uma notícia que desagrada os gestores de Viamão e seus apoiadores. Começo com a justificativa acima porque não faltará quem alegue perseguição ou sabe-se o que mais.

Lauro Quadros, que dispensa apresentações, costuma dizer que "avião que voa não é notícia". Com isso, justifica que não se trata de predileção por fatos negativos, apenas ocorre que uma queda se sobrepõem por sua extraordinariedade.

Aqui vai mais um "causo extraordinário de Viamão": tecnicamente falando, a lei 4.951/2020 que o prefeito Russinho sancionou com data de 7 de maio nunca foi aprovada pela Câmara de Vereadores. Portanto, não vale.

Eu explico: 

O texto negociado pela administração e votado pelos vereadores em 30 de abril "concede reajuste salaria aos servidores públicos do poder executivo municipal ativos, inativos e pensionistas, inclusive autarquias e estabelece o índice para a revisão geral anual dos vencimentos". Essa é a redação final do caput do projeto de lei 036/2020 validada e assinada pelo presidente do Legislativo Dilamar de Jesus e pelo secretário Eraldo Roggia em 5 de maio.

Mas quando atravessou a rua, antes de levar a canetada do prefeito em exercício, o texto mudou. Ganhou ao fim da oração do cabeçalho as palavas "e dos subsídios dos agentes políticos municipais". Pode ser um detalhe técnico, mas muda tudo.

No bom português, é no mínimo uma trapalhada das grandes. É ilegal, imoral, pode ter consequências jurídicas e custará dinheiro aos contribuintes se não for corrigida.

O acrescimo descuidadamente colocado na lei 4.951/2020 estende a reposição salarial aos CCs, secretários e ao prefeito. E se agora pode ter sido engano, antes não era. A coluna trouxe a polêmica em 16 de abril, dois dias após Russinho enviar à Câmara a primeira versão do PL - e nela previa aumento para si e ao seus agentes políticos. Pegou tão mal que teve que voltar atrás, como contei nos artigos Servidores de Viamão sem reposição salarial protestam: Russinho jogou fora a água do banho com a criança dentro e Reajuste do funcionalismo de Viamão é aprovado.

É sábado à noite, não há expediente na Prefeitura, e a comunicação normalmente não responde nem em dia útil. Mas "notícia não é gestação e não pode esperar", como diz o brilhante Laurinho. Por isso, a coluna abre espaço para a administração explicar o que fará. O telefone do Diário de Viamão fica ligado 24 horas. 

Fato é que há um silêncio jurídico ensurdecedor no Gabinete do Prefeito - que perdura desde o dia 7. Portanto, Rusinho já teve tempo para corrigir - mais este - engano de sua equipe.

E que ele passe a ler o que assina.   

 

LEIA TAMBÉM

Viamão tem três casos de COVID-19 em um dia; Infecções aumentam 74% em maio

Idoso de Viamão morto pela COVID-19 era morador da Cecília

 

Últimas Cristiano Abreu

Exclusivo
Homem por trás do afastamento de André Pacheco rompe o silêncio um ano após denúncias que deram origem à ’Lava Jato’ de Viamão
Crise do coronavírus
Viamão se aproxima dos 300 casos de COVID-19; Em semana com oito mortes, teve oração no gabinete do Russinho, mas não foi pelas vítimas da doença
Política
Vereadores rejeitam pedido para abertura de impeachment de André Pacheco
Política
Falta de energia impede sessão que analisaria pedido de cassação de André Pacheco
Política
Vereadores votam pedido de cassação do prefeito André Pacheco nesta quinta-feira
Crise do coronavírus
Russinho aderiu aos protocolos da bandeira vermelha; Agora, só falta a fiscalização
93 dias de crise
Em gráficos, entenda os 93 dias da pandemia do coronavírus em Viamão
Cristiano Abreu
Prefeitura recorrerá da classificação de bandeira vermelha; Falta a Russinho empatia com as vítimas da COVID-19
Crise do coronavírus
Ministério Público volta a cobrar ações da Prefeitura no combate da COVID-19
Crise do coronavírus
Ou Russinho pede ajuda da população, ou terá de fechar o comércio novamente; Recado aos ’covidiotas’
Crise do coronavírus
Profissionais com COVID-19 são afastados, e posto de saúde é fechado
Crise do coronavírus
Ministério Público recebe denúncia de supostas irregularidades em serviço de desinfecção de ruas
Polêmica
Presidente do SIMVIA diz que Russinho trata servidores municipais como ’palhaços’ ao revogar reposição salarial
Crise do cornavírus
Os 89 casos de Viamão ganham destaque na mídia estadual, mas a Prefeitura escolhe relaxar medidas de prevenção
Política
TCE reprova contas de André Pacheco na gestão da Granpal
Crise do coronavírus
No dia em que Viamão registra a quinta morte por COVID-19, secretário da Saúde diz que ’quadro é razoável’
Crise do coronavírus
A COVID-19 avança a galopes em Viamão; Quem acha que está tudo bem precisa ver estes infográficos
Novela de mau gosto
Reposição salarial do funcionalismo volta para a Câmara; Além de parcelado, dinheiro será menor
Caos na Saúde
Os problemas nos contratos das terceirizadas vão muito além do filé mignon e do Uber pagos com dinheiro do contribuinte
Caos na Saúde
Prefeitura renova contrato com empresa que faz a gestão dos postos de saúde

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS