Quinta-feira, 06 de AGOSTO de 2020

Publicidade

Facebook

Gestão

Justiça anula sessão da Câmara, e Viamão está novamente sem prefeito

Publicada em 24/07/2020 às 00h| Atualizada em 27/07/2020 às 10h33

A 1ª Vara Cível da Comarca de Viamão acaba de decidir pela anulação da sessão extraordinária que alterou a mesa diretora da Câmara e conduziu Nadim Harfouche a prefeito. Eraldo Roggia, vice-presidente eleito na e que havia assumido o Legislativo, também está destituído. 

Contudo, o vereador Evandro Rodrigues (DEM) também não é o chefe do Executivo. A decisão liminar devolve o comando da Câmara a Xandão Gomes, vice-presidente em exercício por conta da licença de saúde de Dilamar de Jesus.

E no que é referente ao cargo de prefeito, a Justiça afirma que Dilamar não tem escolha. O vereador ocupando a posição de presidente da Câmara não pode optar por escolher ou não em assumir a Prefeitura. Se desejar isso, terá de renunciar o mandato parlamentar.

Evandro Rodrigues falou ao DV:

- Sempre tive convicção que era ilegal tudo que aconteceu pela forma que ocorreu. Estou com meus advogados, analisando a decisão para posterior posicionamento. Nossa cidade precisa de um prefeito, independente de quem seja. E tem que ser amanhã pela manhã (24).

 

A coluna tenta contato com Xandão Gomes, Eraldo Roggia e Nadim Harfouche.

 

Confira na íntegra:

 

Poder Judiciário
Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul
1ª Vara Cível da Comarca de Viamão

PROCEDIMENTO COMUM CÍVEL Nº 5005589-08.2020.8.21.0039/RS

AUTOR: ALEXANDRE GOMES MELLO

RÉU: ERALDO ANTONIO ALMEIDA ROGGIA

DESPACHO/DECISÃO

Trata-se de apreciar ação declaratória com pedido liminar ajuizado por Alexandre Gomes Mello em face de Eraldo Antônio Almeida Roggia, qualificados nos autos. Postula o autor a antecipação dos efeitos da tutela para que sejam suspensos os atos perpetrados após o encerramento da sessão plenária do dia 23 de julho de 2020, consistentes na abertura de sessão extraordinária, na destituição da Mesa Diretora e na eleição de nova Mesa Diretora da Câmara Municipal. Alega o autor que é o 1º Vice-Presidente da Câmara de Vereadores de Viamão, atualmente Presidente em exercício, em substituição ao Vereador Presidente Dilamar de Jesus Silva, licenciado por motivo de saúde por 15 dias. Refere que a Lei Orgânica Municipal é omissa quanto a sucessão ao cargo de Prefeito, quando ausente o Presidente da Câmara. Menciona que abriu a sessão do dia 23/07/2020 esclarecendo que a sucessão ao cargo de Prefeito, na ausência do Presidente titular, seria estendida aos membros da Mesa Diretora. Como o autor declinou do direito de assunção ao cargo de chefe do executivo, o sucessor imediato, o vereador Evandro Rodrigues aceitou assumir o cargo de Prefeito. Todavia, após encerrada a sessão ordinária, os vereadores que se faziam presentes convocaram uma sessão extraordinária, sendo presidida pelo vereador, ora réu, Eraldo Antônio Almeida Roggia, sem a previa convocação dos demais vereadores da Casa Legislativa e sem embasamento legal do Regimento Interno, com o objeto de destituir todos os cargos do atual mandato da Mesa Diretora e providenciar a eleição de Nova Mesa, para o mandato de 2020.

Vieram os autos conclusos para exame da inicial e análise do pedido de antecipação dos efeitos da tutela.

Sobreveio manifestação do demandado.

É o breve relato.

Decido.

Inicialmente, o autor deverá providenciar a retificação do polo passivo da demanda, devendo identificar corretamente o réu da ação, no exercício do cargo e função respectivos. Tratando-se de vício sanável, identificada adequadamente legitimidade e a questão a ser decidida no contexto da petição inicial, impõe-se o imediato exame do pedido de tutela de urgência.

De acordo com o artigo 300 do Código de Processo Civil, a concessão da tutela antecipada exige elementos que demonstrem a probabilidade do direito e o perigo de dano ou risco ao resultado útil do processo, vedando-se o deferimento quando houver perigo de irreversibilidade dos efeitos da decisão.

Ao exame do caso em apreço observo implementados os requisitos que autorizam o deferimento da liminar.

Dispõe o artigo 224 do Regimento Interno da Câmara de Vereadores da Comarca de Viamão, Resolução n. 4/2016:

"Art. 224° A convocação extraordinária da Câmara caberá: 

I- ao Prefeito Municipal; 

II- ao Presidente da Câmara; 

III- à Comissão Representativa;

IV- à maioria dos seus membros". 

Igualmente, dispõe o art. 225 do mesmo dispositivo, que a Câmara só poderá ser convocada extraordinariamente com antecedência mínima de quarenta e oito horas, salvo em casos de extrema urgência. 

§ único. Considera-se motivo de extrema urgência a apreciação de matéria cujo andamento torne inútil a deliberação posterior ou importe em qualquer dano à coletividade.

No caso, observa-se que Alexandre Gomes Mello, 1º Vice Presidente em exercício da Câmara de Vereadores, convocou sessão ordinária para o dia 23/07/2020, com objetivo de deliberar acerca da vacância do cargo de Prefeito e a linha sucessória para a substituição do cargo do Poder Executivo, em razão do falecimento no dia 22/07/2020 do Prefeito em exercício Valdir Jorge Elias, e diante do impedimento do retorno ao cargo do Prefeito eleito André Nunes Pacheco, afastado do cargo por decisão judicial. A sessão foi processada tanto com a utilização de videoconferência, quanto presencial. Todavia, logo após o encerramento da sessão, foi convocada uma sessão extraordinária para o mesmo dia, que foi presidida pelo réu, vereador Eraldo Antônio Almeida Roggia. Nessa sessão extraordinária, a atual Mesa Diretora eleita em dezembro de 2019 foi destituída, sendo eleita nova Mesa Diretora.

Nesse contexto, considerando o disposto no regimento interno quanto ao tema, ainda que supostamente estivessem presentes a maioria dos membros da Câmara, a convocação de sessão extraordinária, sem a observância do prazo legal mínimo de quarenta e oito horas, reveste-se de nulidade. Não houve o cumprimento de tal requisito regimental, tendo sido a sessão instaurada no mesmo dia em que efetuado o requerimento, sendo realizada ao arrepio das disposições regimentais.  A antecedência mínima prevista tem a finalidade de garantir o tempo para que os vereadores tenham conhecimento, tanto da convocação, quanto evidentemente da matéria a ser debatida.

De outra banda, em que pese o parágrafo único do art. 225 tenha excetuado os casos de inobservância do prazo mínimo de convocação, nos casos de extrema urgência, neste fundamento não poderia ter sido justificada a convocação da sessão extraordinária, já que a situação quanto à vacância do cargo de Prefeito já estava sendo decidida na sessão ordinária, cabendo aos eventuais interessados, contrariados com eventual deliberação, o questionamento na via adequada para o desfazimento do ato, ou mesmo a convocação da referida sessão extraordinaria, mas aí com a antecedência e formalidade exigidas em regimento.

Diante desse contexto, observada a necessidade de definição, ao menos provisória, quanto à validade da deliberação havida no contexto do poder legislativo, e certo de que é imperiosa a resolução acerca da assunção definida no art. 51, parágrafo único da Lei Orgânica do município, defiro o pedido liminar para suspender os atos realizados após o encerramento da sessão ordinária do dia 23 de julho de 2020, consistentes na abertura de sessão extraordinária, na destituição da Mesa Diretora e na eleição de nova Mesa Diretora da Câmara Municipal, permanecendo a composição originária da Mesa, devendo ser obedecido, quanto ao exercício da substituição do cargo de Prefeito, estritamente a determinação do Regimento Interno, arts. 12 e 16, tratando-se de norma imperativa, que não pode ser afastada pela vontade pessoal dos seus componentes, salvo por renúncia ao cargo exercido.

Intimem-se. Comunique-se à Câmara Municipal.

Cumpra-se com urgência.

Últimas Cristiano Abreu

Cadeira de prefeito
O pedaço de papel que valeu uma Prefeitura: ’É verdade esse bilete’; Evandro não desistiu e inicia contragolpe
Exclusivo | com vídeo
A feira livre, Beirute, a Prefeitura e a cloroquina: Nadim Harfouche, o libanês que assume Viamão, fala sobre passado, presente e futuro
Briga pela cadeira de prefeito
Justiça nega mandado de segurança contra eleição da nova mesa diretora da Câmara. Nadim segue prefeito
Primeiro dia de trabalho
Prefeito Nadim: ’Sobre CCs, correções estão sendo feitas, mas nada em lote; Sobre o funcionalismo, existe uma questão legal que precisa ser chancelada pelo Judiciário’
Cadeira de prefeito
Acordão político coloca Nadim Harfouche na Prefeitura e Eraldo Roggia na presidência da Câmara
Operação Capital
Os motivos que levaram o MP a pedir a manutenção do afastamento de André Pacheco
Cadeira de prefeito
’Pré-sal’ da política viamonense tem mais um capítulo decisivo nesta quinta-feira; O gabinete está prestes a receber o terceiro prefeito em sete dias
Operação Capital
Ministério Público pede prorrogação do afastamento de André Pacheco por mais 120 dias
Já pode pedir música!
Mesa da Câmara é destituída, e caminho para a vaga de prefeito liberado
Gestão
Terceiro dia do prefeito em exercício tem ordem para pagar reajuste ao funcionalismo, vídeo em alagamentos, chamamento de concursados e exoneração da irmã secretária
Política
Os bastidores do domingo em que Evandro Rodrigues sentou na cadeira de prefeito de Viamão
Crise do coronavírus
Prefeitura tem nova reunião para discutir ampliação de leitos para pacientes com COVID-19 no município
Gestão
Justiça determina eleição para cargo de primeiro vice-presidente da Câmara, e cadeira de prefeito permanece ’a prêmio’; Evandro pode voltar ao Legislativo
Briga pela cadeira de prefeito
Tem chumbo grosso chegando no bangue-bangue sem mocinho de Viamão
Gestão
Viamão sem prefeito: Xandão Gomes diz que responsabilidade é de Dilamar e que renunciará se for notificado para assumir a Prefeitura
Gestão
Dilamar de Jesus toma decisão sobre assumir Prefeitura; Em paralelo, vereadores fazem pressão e recebem ’visita’ de André Pacheco
Gestão
Nadim Harfouche: Prefeito de Viamão por um dia
Gestão
Justiça anula sessão da Câmara, e Viamão está novamente sem prefeito
Futuro da gestão
Quem será o prefeito de Viamão: Presidente da Câmara comunica afastamento do cargo e tese da ’linha de sucessão’ ganha força no Legislativo
Gestão
Viamão tem dois prefeitos: Vereador Evandro Rodrigues assinou termo de posse, mas Nadim Harfouche foi eleito em plenário; Entenda a confusão:

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS