Sabado, 10 de ABRIL de 2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Operação Capital

André Pacheco perde em Brasília, e afastamento da Prefeitura está mantido; Os advogados bateram na porta errada

Publicada em 03/09/2020 às 00h| Atualizada em 11/09/2020 às 14h34

Pediu, mas não levou. André Pacheco (PSD) tenta anular o afastamento imposto pelo Tribunal de Justiça (TJ/RS) a pedido do Ministério Público (MP/RS), porém, está longe do sucesso. Há exatamente uma semana, o político recebeu um não do Superior Tribunal de Justiça (STJ), e além de fora da Prefeitura de Viamão, permanece alvo preferencial da Operação Capital, a "Lava Jato de Viamão".  

O colega Rafael Martinelli teve acesso ao despacho do STJ que compartilho com os leitores do Diário:  

No dia 27 de agosto, o ministro Sebastião Reis Júnior indeferiu liminar da defesa de Pacheco para suspender a prorrogação do afastamento. Para quem chegou na Terra hoje, em 7 de agosto, o desembargador da Quarta Câmara Criminal do TJ/RS Julio Cesar Finger renovou, por mais 120 dias, o impedimento que iniciou em fevereiro deste ano.


Acontece que o prefeito afastado gastou dinheiro a toa. E quem diz isso é o ministro do STJ. Em seu despacho, Sebastião Júnior explica aquela corte não tem autoridade legal para julgar o objeto da ação.

E encerrou a questão:

In casu, ao que se vê, insurge-se o impetrante contra ato de Desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, evidenciando a manifesta incompetência desta Corte Superior para análise do feito, inclusive, como já corroborado pela Súmula 41/STJ: O Superior Tribunal de Justiça não tem competência para processar e julgar, originariamente, mandado de segurança contra ato de outros tribunais ou dos respectivos órgãos. Ante o exposto, nos termos do art. 212 do RISTJ, indefiro liminarmente o mandado de segurança.

 

É, no mínimo, curioso o caminho escolhido pelos advogados, para não dizer tempo perdido. São 20 dias entre a decisão da Quarta Câmara Criminal e o despacho do STJ , Enquanto se atrapalham entre as instâncias da Justiça, o relógio corre contra Pacheco.

Não posso deixar de definir o epsódio como mais uma derrota. Sim, André perdeu em Brasília. 

 

O que diz o prefeito:

 

André Pacheco e seus advogados mantém silêncio desde o início da Operação Capital. A coluna oferta espaço para eventuais manifestações.

 

Leia a decisão na íntegra:

 

SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIÇA

 

MANDADO DE SEGURANÇA Nº 26804 - RS (2020/0218677-1)

RELATOR : MINISTRO SEBASTIÃO REIS JÚNIOR

IMPETRANTE : ANDRE NUNES PACHECO

ADVOGADOS : MICHELANGELO CERVI CORSETTI - RS065399 NEREU JOSE GIACOMOLLI - RS017568 MARIA LUIZA ROSA DINIZ RODRIGUES - DF056530

IMPETRADO : TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

EMENTA

MANDADO DE SEGURANÇA IMPETRADO CONTRA ATO DE DESEMBARGADOR. MANIFESTA INCOMPETÊNCIA DO STJ. ART. 105, I, B, DA CF. SÚMULA 41/STJ. Mandado de segurança indeferido liminarmente.

 

DECISÃO

Trata-se de mandado de segurança impetrado por André Nunes Pacheco contra a decisão proferida, em 7 de agosto de 2020, pelo Excelentíssimo Desembargador JULIO CESAR FINGER, da Quarta Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul, que renovou, por mais 120 dias, o afastamento cautelar do Impetrante de seu cargo de Prefeito do Município de Viamão/RS (fl. 3 - grifo nosso).

É o relatório.

A impetração é manifestamente descabida.

Com efeito, a competência do Superior Tribunal de Justiça no tocante ao mandado de segurança restringe-se a julgar originariamente impetração contra ato de Ministro de Estado, dos Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica ou do próprio Tribunal, nos termos do art. 105, I, b, da Constituição Federal.

In casu, ao que se vê, insurge-se o impetrante contra ato de Desembargador do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, evidenciando a manifesta incompetência desta Corte Superior para análise do feito, inclusive, como já corroborado pela Súmula 41/STJ: O Superior Tribunal de Justiça não tem competência para processar e julgar, originariamente, mandado de segurança contra ato de outros tribunais ou dos respectivos órgãos.

Ante o exposto, nos termos do art. 212 do RISTJ, indefiro liminarmente o mandado de segurança.

Publique-se.

Brasília, 27 de agosto de 2020.

Ministro Sebastião Reis Júnior
Relator

 

 

 

LEIA TAMBÉM

 

Justiça aceita denúncia do Ministério Público contra André Pacheco e vereador

Como secretário foi envolvido na ’Lava Jato de Viamão’; Carlito Gandhi de Calcutá

’Lava Jato de Viamão’ bloqueia 15 milhões em bens de prefeito e réus; leia diálogos

Dédo Machado: ’Não posso jogar 27 anos da minha vida pública na lata do lixo por irresponsabilidade de um menino que está sendo comandado

Homem por trás do afastamento de André Pacheco rompe o silêncio um ano após denúncias que deram origem à ’Lava Jato’ de Viamão

  

Últimas Cristiano Abreu

Crise do coronavírus
Ex-prefeito Nadim Harfouche está internado com COVID-19, e esposa se recupera em casa; Filhos pedem orações
Exclusivo
Coronavírus, bastidores e aposta: ex-vereador Evandro Rodrigues avalia cenário político e pede desculpas por ter apoiado Maninho Fauri na eleição
Mobilidade urbana
Assembleia aprova projeto de concessão de rodovias - RS-040 pode ser novamente entregue para a iniciativa privada
Crise do coronavírus
Viamão adere ao consórcio metropolitano para a compra de vacinas: entenda a polêmica e o caminho até a chegada das doses
Crise do coronavírus
Bandeira preta está mantida em todo o Estado, mas governo libera a cogestão; A Páscoa da COVID se aproxima
Crise do coronavírus
Eduardo Leite tenta justificar o injustificável: a retomada da cogestão é um equívoco que custará vidas; ’O Barrabás financeiro’
Exclusivo
Armando Azambuja avalia primeiros meses no comando da Câmara de Vereadores e anuncia envio de recursos à Prefeitura para o combate da COVID-19
Exclusivo
Maninho Fauri fala pela primeira vez sobre saída do PSD e projeta futuro político: ’estou dialogando com Bonatto’
Luto
Presidente de honra do MDB Viamão Sarico Moura morre vítima da COVID-19
Crise do coronavírus
O apelo desesperado de Bonatto aos negacionistas: ’318 não têm mais escolha, nós temos’ (ainda)
Crise do coronavírus
Governo do Estado mantém bandeira preta, proíbe venda de produtos não essenciais em supermercados e suspende cogestão por mais duas semanas
Crise do coronavírus
Hospital Viamão abrirá novos leitos clínicos para enfrentar avanço da COVID-19
Crise do coronavírus
Ultrapassamos as 300 mortes, e lotação do hospital Viamão atinge 383%; Bonatto anuncia telemedicina, estuda a compra de vacinas e garante testagem da população
Crise do coronavírus
Viamão adia volta da rede municipal e suspende retomada das aulas presenciais por tempo indeterminado
Crise do coronavírus
Cogestão será suspensa, e todo o Estado entra em bandeira preta a partir de sábado; Prefeito que tem juízo não deve reclamar
Operação Academus
Polícia Civil apurar crimes contra a administração pública e cumpre mandados em Viamão
Eduardo Leite puxou a escada
Bonatto volta atrás, e a bandeira preta ’desbota’ em Viamão; Secretária da Educação também está com COVID-19
Crise do coronavírus
Entre a cruz e a espada: vice-prefeito está com COVID-19, e Bonatto só aguarda ’melhor momento’ para anunciar fechamento do comércio; Problema é convencer os negacionistas
Crise do coronavírus
Eduardo Leite confirma bandeira preta para Viamão, mas mantém cogestão; Agora a pressão está sobre os ombros de Bonatto, que falará em live nesta noite
Crise do coronavírus
Viamão em bandeira preta: Prefeitura discute ações para enfrentar aumento da transmissão da COVID-19; 93% dos leitos do hospital estão ocupados

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS