Segunda, 18 de OUTUBRO de 2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Cultura

Lawrin Ritter | A pandemia nos tirou da rua, não das lutas

Publicada em 15/03/2021 às 00h| Atualizada em 15/03/2021 às 11h39

O Fórum de Mulheres Feministas de Viamão realizou no dia 8 de março um ato virtual com mais de 40 lideranças feministas. Participaram representantes de movimentos sociais, justiça e direitos da mulher, da juventude, da cultura, da comunidade LGBTQIA+, da negritude e da proteção ao meio ambiente da cidade de Viamão.

O ato tinha como objetivo oportunizar um espaço de reflexão e debate sobre o 8 de março, sendo essa data uma referência de mobilização no mundo inteiro das lutas dos movimentos sociais em defesa dos Direitos das Mulheres, de Proteção e Respeito. Este ano, as palavras chaves para o diálogo foram pela Urgência na Vacinação de Toda a População, pelo Fortalecimento do SUS, por Auxílio Emergencial para Todos e Todas, pela Volta às aulas Somente após Vacinação, pela Proteção Ambiental, pelo Fim da Violência Contra Mulheres e Meninas e pela Legalização do Aborto.

Durante o ato, foi lida a Carta Manifesto de 2021, a qual tem, entre outros, dois pontos muito importantes: clama por mais segurança, responsabilidade e providências do Estado com relação à crise sanitária que estamos vivendo e denuncia o drástico aumento do   número de casos de violência contra as mulheres e dos feminicídios no último ano.

Além do ato virtual, o Fórum de Mulheres Feministas de Viamão está realizando uma extensa programação para conscientizar sobre este marco histórico que é o 8 de março. Todas as atividades podem ser acessadas pela Página do Facebook ou Instagram do Fórum. Neste domingo (14) ocorreu um Sarau Cultural Feminista, propositalmente na data em que se completam três anos do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco.

 

Saiba mais através das mídias sociais:

Facebook: https://web.facebook.com/forumdasmulheresfeministasdeviamao

Instagram: https://www.instagram.com/ forumdasmulheresdeviamao

 

Leia a Carta Manifesto 2021

 

Fórum de Mulheres Feministas de Viamão

Carta Manifesto 2021

Mulheres jamais se calaram, jamais se calam, jamais se calarão!

O silêncio é morte!

O 8 de Março, Dia Internacional da Mulher, acontece em um dos piores momentos pelo qual a humanidade atravessa: estamos mergulhadas em uma pandemia que já levou milhares de pessoas a óbito. À frente de tudo isso, estão profissionais de saúde, em maior número, Mulheres. Existe ameaça de volta às aulas presenciais, que resultará em um avanço do genocídio, podendo inclusive alcançar crianças e jovens em idades escolares. A maioria do professorado, sabemos, são Mulheres.

Na busca pelo auxílio emergencial para alimentar suas famílias… quem está na batalha, brigando por direitos? Mulheres! Com a pandemia, escancaram-se os números de feminicídios. Cadê o Estado? Até quando a sociedade vai aceitar o assassinato de mulheres? É inadmissível que tenhamos, nos cargos de comando deste país, homens irresponsáveis. O presidente da República, Jair Bolsonaro, debocha da população, chamando esta doença, que está ceifando vidas diariamente, de gripezinha. Ele pisa na dor de milhares de famílias, dizendo que é mi mi mi...

Esse discurso tem ressonância na capital do RS, cujo prefeito, Mello, pede que as pessoas deem a vida em prol da economia. Quanto ao Leite, Governador de nosso Estado, ora propõe cogestão com os prefeitos e prefeitas, ora volta atrás. Sabemos que, com essa ação, quer posar de bom moço, por almejar cargo maior daquele que hoje ocupa.

Em nosso município, segue a regra nacional: sem planejamento, sem diálogo com as comunidades, nem com os meios de comunicação. O Prefeito Bonatto também ocupa o cargo de Secretário de Saúde, numa tentativa de mascarar o falso investimento na saúde da população em relação ao COVID 19. Chegou-se ao absurdo de, no Legislativo, encaminhar-se projeto de contrair empréstimo para construir uma prefeitura de primeiro mundo; porém, na mesma sessão, derrubou-se a Lei que garantia a formação de um fundo para a compra de vacinas da COVID 19.  A Lei contra os Lixões, também derrubada, contrasta com a inauguração de uma megaempresa de água mineral em nome do Prefeito.  Avaliemos, o que está por trás?

Bonatto jogou dois meses fora quando revogou a lei que criava fundo municipal para compra de vacinas, apenas por disputa política, pois Guto Lopes, seu oponente nas eleições, foi o autor daquela lei revogada. Agora, corre atrás do prejuízo, pedindo aprovação, na câmara, para uma lei que já existia. Infelizmente, esse prejuízo, agora, são vidas perdidas; muitas delas que poderiam ter sido salvas.

O que tudo isso significa?

Nossos governantes não têm o mínimo de planejamento para nos oferecer em relação ao combate ao Coronavírus, à violência contra a Mulher ou a qualquer política que preserve a vida. Quando era possível estarmos negociando a aquisição de vacinas para a população, o Presidente, como de costume, apresentava postura infantilizada, negando a ciência, levantando calúnias sobre a origem do vírus, questionando a OMS (Organização Mundial da Saúde), se aliando ao terrorista, ex-presidente americano, Donald Trump. Posturas recorrentes, que envergonham nosso Brasil em todos os cantos do mundo, e cujo resultado tem sido desastroso em todas as áreas, como é o caso de um país rico como o nosso estar repleto de pessoas empobrecidas e miseráveis.

A última medida provisória de Bolsonaro demonstra, com muito nitidez, uma intenção genocida em massa. Com essa   MP, ele destrói a transparência do sistema de vacina do Brasil; impede a publicação de dados; veta a possibilidade dos municípios e Estados serem ressarcidos pela compra de vacinas; desobriga a Anvisa a aprovar, como era previsto anteriormente, em 5 dias as vacinas que podem fazer parte desse plano de imunização; e desobriga o Ministério da Saúde de ser o gestor do Plano Nacional de Imunização. De acordo com autoridades sanitárias, para que tenhamos segurança e eficácia comunitária, a vacina precisa atingir 70 % da população, mas no atual ritmo de vacinação, levaremos 550 dias para atingir a meta.

Nesse passo, colocamos em risco a eficácia de quem já foi vacinado e daqueles que ainda esperam ser. A circulação do vírus contribui para o surgimento de novas variantes, o que já vem ocorrendo. Por esse motivo, autoridades mundiais apontam o Brasil como uma ameaça à humanidade.

Não é desgoverno, como uns afirmam, é a política do caos.

Esses atos criminosos jamais serão aceitos por nós, Mulheres! Seja o governo que for!

Quando cobramos ações efetivas de combate à violência contra as Mulheres, negras, negros e povos indígenas, a resposta foi a liberação das armas de forma assustadora, inclusive com isenção de impostos.

Portanto, estamos vindo, mais uma vez, a público, denunciar essas manobras contra a vida e a favor do capital.   Não podemos assistir a tudo isso como se fosse filme de ficção!

RENDEMOS homenagens às profissionais de saúde que já estão na exaustão das péssimas condições de trabalho em que se encontram, e que precisam decidir qual vida salvar por falta de estrutura e de leitos... Mas não deixamos de denunciar a total irresponsabilidade dos governos. Não basta dizer que profissionais de saúde são heroínas ou heróis, isso não soma para a mudança no quadro de caos que esse Presidente nos colocou no contexto da pandemia. Nossas profissionais não necessitam de sua transformação em algo sagrado. Precisam, sim, de respeito.

Em tempo, cabe mencionar que muitos hospitais de campanha foram desativados antes do controle razoável da pandemia. Além disso, negacionistas, seguidores do “Messias”, chegaram a acusar de fake news reportagens que mostravam enterros em covas enfileiradas, situação que realmente vem acontecendo. O que nos parece não estar sendo bem assimilado é que Coronavírus não escolhe quem vai ser acometido, seja quem negue a vacina ou mesmo quem perceba a seriedade do que estamos vivendo. Porém, não é um vírus democrático, como dito inicialmente:  os mais pobres e necessitados têm sofrido muito mais por precisarem sair em busca do sustento; por terem que se aglomerar no transporte público; por não contarem com moradias em que possam permanecer de forma tranquila; pela falta de saneamento básico; enfim, por N situações que sabemos, ainda que não as experimentemos.

LIGUEMOS OS FATOS. Não é possível que alguém ainda ache que esta doença nada tem a ver com o desequilíbrio ecológico causado pelo ser humano - autorizado e incentivado pelos governos; pelas florestas em chamas; pela contaminação de nascentes, rios e lagos; pelo assassinato de nossas comunidades indígenas e quilombolas; pela extinção de várias espécies de flora e fauna; pelo envenenamento dos alimentos, liberado, vergonhosamente pelos governos (já são mais de 300 agrotóxicos proibidos em seus países de origem, MAS liberados no Brasil).

Como um governante vê esta situação, pior que guerra civil, e não toma medidas eficazes na busca de soluções? Em qualquer país do mundo, um Presidente como esse já teria sido deposto. Não porque seja do partido A ou B, mas porque não serve para o cargo que ocupa.

Nossa indignação é forte contra a tentativa de naturalizar a falta de leitos e dizer apenas que as pessoas estão morrendo de Covid. Sabemos que muitas mortes poderiam ter sido evitadas se tivéssemos o exemplo vindo de cima, alertando sobre o perigo que é este vírus.

Se também tivessem sido criadas políticas sérias de combate ao Corona, que incluíssem campanhas de conscientização e educação para que nossa população se cuidasse. No entanto, onde está a garantia de que as pessoas não passariam necessidade? onde está a criação de leitos? onde está a ampliação do quadro de funcionárias e funcionários da saúde? Quantas perguntas sem respostas...

Precisamos de VACINAS PARA TODA A POPULAÇÃO JÁ!

É preciso investir em recursos financeiros para a população sem condições de trabalho ou desempregada. Auxílio emergencial com valor condizente com a dignidade das pessoas e não a migalha que desde o início Bolsonaro tentou instituir.

 O Estado não foi criado para atender aos interesses de quem tem. Foi, justamente, criado para atender quem não tem. E o que realmente se vê são esforços ilimitados por parte do Presidente da República, junto aos Presidentes da Câmara e do Senado, buscando formas de livrar a cara de deputados neofascistas e de seus próprios filhos. Cortinas de fumaça são arquitetadas para ir passando o que realmente importa: o desmonte do Estado, que afetará os que menos têm condições, e o roubo de terras de nossos povos tradicionais para entregar ao agronegócio e aos estrangeiros. Além de acabar com os recursos naturais, por entender que as próximas gerações não merecem viver.

PORÉM, nenhum esforço no sentido de criar condições para que nosso país saia desta situação de luto que perdura desde o início da pandemia. Parece-nos que, para o Presidente, não importa quantos morrerão, importa que ele e a família já estão imunizados com vacina. Importa mais para ele a mudança na Constituição, que possibilite continuidade de operação no famoso Gabinete do Ódio, que trama contra seus adversários, administrando o interesse dele, de sua família e de seus comparsas.

O Coronavírus é uma preocupação de todas nós, mas isso não nos faz fechar os olhos para o que está acontecendo. Não se deixe contaminar pelo vírus da ignorância e negacionismo!

É preciso que cobremos daqueles em quem votamos, que se posicionem e que também exijam VACINA JÁ!  AUXÍLIO EMERGENCIAL DIGNO JÁ!  COMBATE À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES E MENINAS JÁ!  AULAS PRESENCIAIS, SÓ APÓS VACINA!

Nós, do Fórum de Mulheres Feministas de Viamão, já estamos marcando de cima esses crimes contra o Planeta e contra a Humanidade.

#ForaBolsonaroeMourãoGenocidas!

#ImpeachmentJá!

#VacinaJá!

Todas Contra o Vírus da Ignorância e da Irresponsabilidade! Faça sua Parte!

Últimas A CULTURA AINDA PULSA

Agenda
Começa o 4º Cult Circuito, edição 280 anos de Viamão
Cultura
Casa Mágica é o sonho de um Centro Cultural e Esportivo em Viamão
Teatro
Peça teatral debate violência contra a mulher
Novidade
Lawrin Ritter | Tem projeto novo no Grupo Teatral Leva Eu!
Cultura
Lawrin Ritter | Associação da Cultura Hip-Hop de Viamão oferece premiação para artistas
Cultura
Lawrin Ritter | ROCK N ROLL, TAMBOR E RESISTÊNCIA: Matheu lança single ’Indelével’
Cultura
Lawrin Ritter | A pandemia nos tirou da rua, não das lutas
Agenda
Lawrin Ritter | Mulher + Arte + Cultura é mais Toque de Comadre
No solo da cultura viamonense
Lawrin Ritter | Desafios e possibilidades para os artistas e fazedores de cultura de Viamão
Cultura em movimento
A cultura ainda pulsa | Centro Cultural Mestre Borel e a comunidade da Viamópolis
Agenda
A Cultura ainda Pulsa | Domingueira no Lago realiza sua primeira edição on-line
O meio ambiente agradece
A Cultura Ainda Pulsa | Preservação do Lago Tarumã é tema de documentário
Viamão em destaque
A Cultura Ainda Pulsa | Autora de Viamão tem livro reconhecido em premiação estadual
Reconhecimento
A Cultura Ainda Pulsa | Artista de Viamão recebe Prêmio Açorianos de Música 2020
Opinião
A Cultura ainda pulsa | Viamão: entre barulhos, sons, ruídos e remanso
Agenda cultural
A CULTURA AINDA PULSA: Editais Aldir Blanc em Viamão
Agenda
Lawrin Ritter | #3 Cult Circuito 2020 foi um sucesso!
Agenda
Lawrin Ritter | Viamão no Festival Sertanejar RS
Agenda
​Lawrin Ritter | Participe do #3 Cult Circuito
Opinião
Lawrin Ritter | Artista: adjetivo, substantivo, Ser
Paginas: [1] 2 Próxima »

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS