Segunda, 18 de OUTUBRO de 2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Moisés Mendes

Papo de quarta-feira | Os prefeitos que enfrentam o autoritarismo negacionista

Publicada em 26/05/2021 às 00h| Atualizada em 26/05/2021 às 08h59

São bravos os 43 prefeitos gaúchos (de um total de 497) que decidiram suspender as aulas presenciais em seus municípios.

Eles passam a enfrentar a ira do Estado, que cobra, através da Procuradoria-Geral, a reabertura das escolas. O argumento é o de que os prefeitos devem ser obedientes às regras estaduais.

É interessante que todo o debate em torno do abre e fecha da pandemia sempre envolveu decisões políticas, muitas vezes disfarçadas de deliberações científicas.

O governador do Estado já recuou diante de pressões e alterou todo o sistema de bandeiras.

O governador não segurou o rojão, diante da pressão da direita (e muito mais da extrema direita). Agora, a briga é assumida pela Procuradoria, como se fosse apenas uma questão legal ou jurídica.

O governo lava as mãos e deixa que a PGE brigue com os advogados das prefeituras. O Estado sai fora do emva6te político e se recolhe, porque a hegemonia é do negacionismo.

Em comunicado aos prefeitos, a Procuradoria-Geral destaca, segundo Zero Hora, o caráter essencial da educação e acentua que é vedado o fechamento indiscriminado total de escolas e demais instituições de ensino.

Os prefeitos dizem que fizeram a coisa certa. É uma boa briga, que vai muito além da questão técnica (se é que existe) em torno dos controles e das contenções para que a pandemia não se alastre.

Venceram os que entendem que é preciso abrir tudo, mesmo que uma nova onda da Covid-19 esteja sendo anunciada e que se registre aumento das internações nas UTIs.

O governo gaúcho tem hoje um governador que não é apenas vacilante, que votou em Bolsonaro, que agora fala mal de Bolsonaro, que tenta ser a terceira via em 2022, mas que adota sempre posições e atitudes da direita.

Mais do que vacilante, o governador tucano é um dos piores governadores gaúchos. É provável até que seja mais autoritário do que os governadores interventores impostos pela ditadura.

O Rio Grande do Sul nunca teve um governador tão frouxo, valente para enfrentar professores, mas fraco quando está diante do poder do dinheiro. Essa é a síntese. O resto é conversinha.

 

Texto publicado originalmente no blog do Moisés Mendes:

https://www.blogdomoisesmendes.com.br/os-prefeitos-que-enfrentam-o-autoritarismo-negacionista/

Últimas Papo de quarta-feira - Com Moisés Mendes

Paginas: [1] 2 3 Próxima »

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS