Sabado, 16 de OUTUBRO de 2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Crônica

O mundo de Alice | Literatura: para que serve e por que devemos ler?

Publicada em 16/08/2021 às 16h33| Atualizada em 16/08/2021 às 19h22

Para além do conhecimento, da extensão de vocabulário e de uma boa redação no vestibular, a literatura serve para encantar-nos, para que o cotidiano não sequestre nossa esperança e nos leve a tudo o que há de bom na vida. A literatura é uma porta de entrada para os entediados, bem como para os apaixonados e para os que nada querem.

De modo paradoxal, ler um livro, despretensiosamente, nos leva a desejar muito daquilo que antes não conhecíamos. Nos tornamos ambiciosos, curiosos e inconformados. A solidão que nos acompanha, dá lugar ao drama ficcional que nos faz companhia imediata.

Com um livro, não ficamos desamparados e isso nos traz independência. Ele lhe acompanhará na padaria, no restaurante e na escola. Juntos e inseparáveis, confidentes e amantes. Mais do que romantizar a leitura, devemos problematizar o acesso aos livros e ao conhecimento.

Para muitos, o livro ainda é um artigo de luxo, alguns jamais chegaram a folhear uma boa história. Aos que possuem o privilégio de poder tocar nas folhas mágicas de um bom texto, é preciso responsabilidade para saber lidar com isso.

Um livro serve para que estejamos contentes e descontentes ao mesmo tempo, para que o questionamento esteja presente em nossas vidas. Para que não sejamos meros telespectadores e sim agentes ativos, para que cada palavra se transforme em algo transformador dentro de nós.

A literatura ainda é subestimada no nosso país, e infelizmente por muitos cidadãos. Embora os que conhecem o seu poder, não desejam outra coisa na vida, se não a companhia de um camarada cheio de histórias para contar.

Com carinho, Alice.

Últimas O mundo de Alice

Crônica
O mundo de Alice | Para o meu amor: uma construção diária
Crônica
O mundo de Alice | Esteja disposta a mudar de rota
Crônica
O mundo de Alice | Mulheres são múltiplas: para além do papel de esposa, namorada e mãe
Crônica
O mundo de Alice | Processos: quanto tempo leva até fazer sentido?
Crônica
O mundo de Alice | Não quero mais me desculpar, não posso mais me desculpar
Crônica
O mundo de Alice | Arte: uma religião escondida nas cores?
Crônica
O mundo de Alice | Uma decisão: me escolher todos os dias
Crônica
O mundo de Alice | Uma carta de amor para alguém que merece ser amada
Crônica
O mundo de Alice | Literatura: para que serve e por que devemos ler?
Crônica
O mundo de Alice | Autocobrança: você dá o seu ’melhor’?
Crônica
O mundo de Alice | O espelho e eu: minha própria companhia
Crônica
O mundo de Alice | Sentimentos que te atravessam: a difícil missão de se concentrar no agora
Crônica
O mundo de Alice: Viamão e a arte: olhos voltados para fora jamais enxergarão a beleza lá de dentro
Crônica
O mundo de Alice | Viamão & meio ambiente: bituca de cigarro não é semente, papel de bala não vira flor
Crônica
O mundo de Alice | Conversa de bar - Realização pessoal: o que significa realizar-se na vida, para você?
Crônica
O mundo de Alice | Escolhas: um olhar profundo para nossas verdadeiras intenções
Crônica
O mundo de Alice | Solitude - o bendito fruto de nós mesmos
Crônica
O mundo de Alice | Saia dos trilhos, para que possa retornar a si ainda melhor
Crônica
O mundo de Alice | Caixa secreta: nós mesmos, nossos desejos e anseios
Crônica
O mundo de Alice | Solidão: A coragem de estar só
Paginas: [1] 2 Próxima »

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS