Sabado, 16 de OUTUBRO de 2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Crônica

O mundo de Alice | Esteja disposta a mudar de rota

Publicada em 05/10/2021 às 00h| Atualizada em 05/10/2021 às 14h20

Quando passei no vestibular que tanto queria, pensei que, de alguma forma, aquilo me traria grandes respostas de vida. Quando encontrei alguém para amar e gostar, pensei que, de alguma forma, aquilo iria suprir todos os meus desejos e anseios do coração. Quando comecei a escrever para o Diário de Viamão, tive essa mesma sensação, a sensação de que “agora sim”, “agora me sinto completa”.

Acontece que, de certa forma, sempre experimentei esse sentimento de completude de modo fugaz, como se aquele objeto de desejo pelo qual tanto sonhei, fosse de alguma forma mágica transformar tudo ao meu redor. E me frustrei muitas vezes, ao descobrir que na verdade a vida não é assim.

Não estamos vivendo com um mapa que nos direciona ao ponto de partida e ao ponto de chegada, não existe de fato um momento em que nossos questionamentos cessam e nossas dúvidas acabam para sempre.

Na vida, não existe o pote de ouro no final do arco-íris. Ou melhor, existe sim, mas não apenas um. Existem vários potes de ouro à nossa espera. Essa felicidade que buscamos todos os dias não se resume ao diploma, ao dia do casamento, ao gerar outro filho ou sair do ensino médio.

Porque quando estivermos realizados em todos esses âmbitos, desejaremos outros mistérios, e ficaremos aguardando a próxima aventura. Isso que é viver, jamais se fechar, pois as propostas estão à espreita logo ali na esquina.

Que possamos nos permitir viver de acordo com o que vier, de modo a não determinar onde começa e onde termina. As expectativas virão, mas é imprescindível que estejamos sempre dispostos a mudar de rota, sem ver isso como algo ruim, mas algo inerente à vida.

Com amor, Alice.

Últimas O mundo de Alice

Crônica
O mundo de Alice | Para o meu amor: uma construção diária
Crônica
O mundo de Alice | Esteja disposta a mudar de rota
Crônica
O mundo de Alice | Mulheres são múltiplas: para além do papel de esposa, namorada e mãe
Crônica
O mundo de Alice | Processos: quanto tempo leva até fazer sentido?
Crônica
O mundo de Alice | Não quero mais me desculpar, não posso mais me desculpar
Crônica
O mundo de Alice | Arte: uma religião escondida nas cores?
Crônica
O mundo de Alice | Uma decisão: me escolher todos os dias
Crônica
O mundo de Alice | Uma carta de amor para alguém que merece ser amada
Crônica
O mundo de Alice | Literatura: para que serve e por que devemos ler?
Crônica
O mundo de Alice | Autocobrança: você dá o seu ’melhor’?
Crônica
O mundo de Alice | O espelho e eu: minha própria companhia
Crônica
O mundo de Alice | Sentimentos que te atravessam: a difícil missão de se concentrar no agora
Crônica
O mundo de Alice: Viamão e a arte: olhos voltados para fora jamais enxergarão a beleza lá de dentro
Crônica
O mundo de Alice | Viamão & meio ambiente: bituca de cigarro não é semente, papel de bala não vira flor
Crônica
O mundo de Alice | Conversa de bar - Realização pessoal: o que significa realizar-se na vida, para você?
Crônica
O mundo de Alice | Escolhas: um olhar profundo para nossas verdadeiras intenções
Crônica
O mundo de Alice | Solitude - o bendito fruto de nós mesmos
Crônica
O mundo de Alice | Saia dos trilhos, para que possa retornar a si ainda melhor
Crônica
O mundo de Alice | Caixa secreta: nós mesmos, nossos desejos e anseios
Crônica
O mundo de Alice | Solidão: A coragem de estar só
Paginas: [1] 2 Próxima »

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS