Domingo, 29 de NOVEMBRO de 2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Educação

Com vídeo: Jovem da periferia de Viamão conquista bolsa para estudar na Inglaterra e faz vakinha online para pagar viagem

por Cristiano Abreu - Edição de vídeo: Guilherme Klamt | Publicada em 22/10/2020 às 00h| Atualizada em 16/11/2020 às 12h32

Oferecer ensino de qualidade na rede pública é desafio de milhões de educadores brasileiros. Em muitos casos, só mesmo força de vontade e dedicação conseguem fazer frente a problemas como falta de estrutura, desvios de verbas, polarização política e desigualdades sociais a que estão submetidos educadores e alunos. Felizmente, tanto esforço gera resultados capazes de orgulhar comunidades inteiras.

Vem do Parque Índio Jari, em Viamão, um desses exemplos. Pelas ruas de chão batido da vila, uma jovem trilha nas últimas décadas o caminho de superação que a levará – pela segunda vez – a estudar na Europa.

Aos 18 anos, Helena Francisco de Oliveira Lima, mulher negra da periferia e oriunda da escola pública, conquistou uma bolsa para um intensivo de duas semanas na Universidade de Cambridge, na Inglaterra. Estudará Filosofia. Para chegar lá, venceu um concurso internacional de redação. Um feito considerável por si só, e que foi realizado por duas vezes.

- É a segunda vez que sou aprovada. Na primeira vez, não pude ir porque eu já estava realizando outro intercâmbio – conta.

Sim, você leu certo! Helena teve que optar entre Cambridge e cursar parte do Ensino Médio em uma escola técnica na Itália – foram dois meses no ISIS Fossombroni, instituição conceituada na formação em administração, finanças e marketing.

- Eu pesquiso, vou atrás, e uma oportunidade traz a outra - explica.

 

Helena conheceu a neve na Itália

 

Vakinha para pagar a viagem

 

A viagem ocorrerá em junho de 2021, mas para colher os frutos de mais essa vitória, Helena corre contra o tempo. O concurso concedeu bolsa de 20% do valor do curso, e a jovem tem até o dia 27 de novembro deste ano para confirmar participação e marcar passagens aéreas. Mas, como o leitor pode imaginar, a família não tem como cobrir as despesas.

- Sou estagiária na Polícia Civil durante as manhãs, vivo com minha mãe, irmã e avó. Mesmo economizando, meu salário não é suficiente.

Para chegar no valor estimado de R$ 30 mil para bancar a viagem, Helena e amigos lançaram uma vakinha virtual.

- A vakinha (vaka.me/1462868) já está valendo. Peço a colaboração de todos para atravessar o mundo mais uma vez – reforça.

 

Vencendo as desigualdades

 

O interesse de Helena pelos estudos vem, segundo ela, da necessidade de romper barreiras.

- Quando se é uma pessoa negra e de periferia, se passa por muitas coisas. Minha mãe e minha avó sempre me incentivaram, ensinaram que o estudo é a base para tudo e que ninguém pode tirar de mim. Por isso eu também incentivo outras pessoas, a enxergar que elas têm capacidade, basta querer estudar – encoraja a jovem.

Helena foi aluna das escolas EMEF João Goulart, EMEF Monte Alegre (CAIC) e atualmente está no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul - Campus Viamão. E o progresso dela alegra professores que contribuíram para essa trajetória.

- A Helena sempre mostrou ser uma aluna que vai atrás do que quer. Incentivava colegas, era questionadora. No CAIC, participava dos movimentos negros, já tinha opinião sobre as coisas. E isso tudo a levou a onde está indo, por isso, peço que ajudem na vakinha online – conta a professora Maria Darcila Tinoco.

- Essa menina, e outras, cresceram muito. É um orgulho muito grande ter sido professora da Helena e ver os altos voos que ela está dando... uma mulher negra e de periferia... sabemos quanto é difícil. É importante também mostrar como essa proposta dos institutos federais tem ajudado na ascensão dos jovens, pena que o governo federal não valorize – fecha a educadora Roselita Campos.

Helena, que também integrou movimentos estudantis pelo empoderamento da mulher negra, agradece o apoio das educadoras.

- Eu me sinto privilegiada por ter as oportunidades e os professores que tive e tenho. E o recado que eu deixo a todos é que sonhem alto. Eu nunca sonho baixo, mesmo quando dizem que eu não vou conseguir, que algo não vai se adequar à minha realidade ou que nunca vou ser como as pessoas que vejo na televisão e nos sites de internet – finaliza a estudante.

 

Como ajudar a Helena a ir para Cambridge

 

- Acesse pelo link: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/aluna-do-ifrs-campus-viamao-em-cambridge

(ID da vaquinha: 1462868)

 

- Fale com a Helena pelo telefone: (51) 98420-5966 (WhatsApp).


- Pelo Instagram: @leena_oliveira

 

- Mande um e-mail: [email protected]

 

- Ou, se preferir, deposite qualquer valor:

Em nome de Helena Francisco de Oliveira Lima - CPF: 861.033.770-72

Banco do Brasil: agência 628-9 - conta corrente 58753-2 

Caixa: agência: 3457 – conta 00015446-1 - operação 013

PICPAY: @helena.oliveira248

 

Em vídeo: conheça a Helena

 

 


LEIA TAMBÉM

Coluna do Brasil | Escolas do RS começam a retomar aulas sob a ameaça do coronavírus

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS