Sabado, 10 de ABRIL de 2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

Crise do coronavírus

Entidades e comunidade lançam movimento em defesa da vida em Viamão

por Redação | Publicada em 28/03/2021 às 00h| Atualizada em 29/03/2021 às 14h50

Comunidade, entidades de representação social e de classe de Viamão lançam neste domingo (28) o Movimento em Defesa da Vida. Movimentos populares e sociais, sindicatos, partidos politicos, organizações comunitárias estão unidos na cobrança de ações públicas para amenizar os efeitos da pandemia do coronavírus.

Os organizadores definem três eixos de ação: vacina e testagem em toda a população, auxilio emergencial e impeachment do presidente Bolsonaro.

"Defendemos proteção das pessoas e da natureza, a partir de seus direitos. Para que possamos sair desta situação causada pela pandemia, os movimentos, que já estavam organizados fazendo pressão e exigindo mudança deste quadro caótico, entenderam por se unir, potencializando esforços para chamar a atenção das comunidades e cobrar de nossos executivos e legislativos ações concretas e rápidas, para poupar vidas. Mortes poderiam ser evitadas caso tivessemos um governo comprometido com o povo e que se atentasse à Constituição de nosso país e que desde o inicio tivesse feito  planejamento e seguido as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS)", entende o grupo.

 

Agenda:


Movimento em Defesa da Vida
Lançamento: Domingo, 28 de março
Horário: 18h 30min
O evento será online e aberto, podendo ser acompanhado pelo facebook (facebook.com/defesadavidaviamao)
Solicitamos Participação e Compartilhamento!

 

Confira a carta aberta publicada pelos organizadores do movimento:

 

MOVIMENTO EM DEFESA DA VIDA

Nós, do Movimento em Defesa da Vida de Viamão, vimos a público, neste momento de luto de nosso País, lamentar as mortes que ocorrem diariamente e nos solidarizarmos com a dor das famílias, parentes, amigas e amigos das vítimas. Hoje, não tem uma pessoa que não tenha perdido algum conhecido, alguma conhecida. Todavia, não podemos nos conformar como tantas vidas perdidas, que poderiam ter sido poupadas, como se essas perdas fossem normais.

Não é de hoje que as comunidades científicas, políticas e sanitárias alertam sobre as ações que deveriam ser tomadas para combate da pandemia. Apesar disto, o governo Bolsonaro, demonstrou desprezo pela vida (vide atos como desnecessidade de cadeira para crianças em veículos, liberação de agrotóxicos, liberação de queimadas na Amazônia, aumento da autorização de infração de trânsito -de 21 para 40 pontos- e o incentivo ao armamento da população, entre outras), negou e até inviabilizou estas ações, fazendo com que vivamos a atual crise, sanitária e econômica, que coloca o país como o que pior enfrentou a crise até agora. Temos a obrigação de Cobrar das autoridades.

O que é preciso fazer?

Vacina e testagem para toda a população, já!

Exigir que a população seja vacinada o mais breve possível. Que o governo federal abandone a ideia de ir contra a OMS, Organização Mundial da Saúde. Que articule a compra de vacinas imediatamente ou adquira insumos para que sejam feitas pelo Instituo Butantã, distribuindo-as o mais rápido possível para Estados e Municípios. E que os municípios façam adesão aos consórcios metropolitanos para compra de vacinas.

Auxilio Emergencial Digno, Já!

O Auxílio Emergencial precisa ser digno. O valor proposto pelo governo federal, não dá para pagar gás e luz no mesmo mês. Precisa ser para todas as famílias de baixa renda e/ou que estejam desempregadas. Que os governos Estaduais e Municipais ampliem esta renda, deixando de aplicar em obras desnecessárias (como uma nova Prefeitura para Viamão) e direcione para a sobrevivência das pessoas.

Apoio financeiro dos governos as pequenas e as médias empresas

Que as pequenas e médias empresas tenham apoio financeiro dos governos, assim é possível evitar demissões e que não encerrem suas atividades, pois são as que mais empregam nas cidades.

 

Volta às aulas

Que as escolas voltem a ter aulas presencias, somente após vacina: isso preservará a vida de toda comunidade escolar. Voltar às aulas sem vacinação aumentará o contágio, contribuindo para o crescimento dos casos e a necessidade de um uso  maior da estrutura médico-hospitalar e que o recurso da merenda escolar seja distribuído às famílias, para colaborar neste contexto de incertezas e desempregos.

Hospitais de Campanha

Hospitais de Campanha para desafogar o SUS é uma emergência construir hospitais de campanha para desafogar a rede de saúde, principalmente o SUS, que está muito sobrecarregado. Fortalecer esse órgão, que é um dos melhores do mundo, é nossa obrigação.

Programa de Aquisição de Alimentos Saudáveis

Nossa cidade tem possibilidade de abastecer as comunidades locais com alimentos de qualidade, sem veneno, garantindo a segurança alimentar. O Assentamento Filhos de Sepé, que tem a maior produção de arroz orgânico do país, hortaliças e frutas é um exemplo dessa possibilidade. Se há programas sociais com possibilidade de adquirir estes alimentos, caso do PAS, que se coloque em prática.

Abrigos Sanitários

Para auxiliar no distanciamento social é necessário abrir prédios públicos que não estão sendo usados em nossa cidade (como escolas), para auxiliar as famílias que moram em espaços muito pequenos e que sejam compostas por muitos membros. Aqui na cidade é possível apontar vários destes espaços. E, ainda possa redimensionar compras de cestas básicas para o CRAS, incluindo novos cadastros para família de baixa renda e/ou desempregadas.

Por que isso está acontecendo?

Precisamos voltar nosso olhar e memória para o que vem ocorrendo.

Existe um modelo de sociedade em andamento que entende que a concentração de renda deva ser nas mãos de poucos. Estado mínimo para trabalhadoras e trabalhadores, com retirada de direitos e o máximo de apoio e recurso para o agronegócio, grandes empresários e bancos, tem sido esta lógica. Estamos vivendo as consequências deste modelo de Estado mínimo, implementado até o presente momento.

Estado este, que pratica o desmatamento, queima das florestas, contaminação de rios e lagos, extermínio da biodiversidade, liberação absurda de venenos (agrotóxicos) nos alimentos, mais de 400 tipos proibidos no país de origem e liberados aqui, assassinato de nossos povos tradicionais, indígenas e quilombolas. Tudo em busca da manutenção de seu modelo de exploração do homem, da terra e de suas riquezas para manutenção de seus lucros exorbitantes.

Soma-se a isso, a falta de planejamento dos governantes, que de forma irresponsável, principalmente o Federal, não construiu uma agenda de inclusão social, não facilitou a testagem, não adquiriu insumos para fabricação e nem comprou vacinas. Se quer, dados sobre a pandemia são fornecidos a sociedade, que fica sabendo pelo que obtém a imprensa. A falta de transparência do uso das verbas públicas, tal como: o que foi feito com os 33 milhões que vieram para nossa cidade?  Nos impedem de saber aonde foram investidos.

A negação da pandemia, o desestímulo à vacinação e ao isolamento, pelo Governo Federal, somados a campanha pela compra e consumo de ivermectina, cloroquina, etc, sem comprovação de eficácia destas no tratamento da Covid, em detrimento de compra de vacina, são atos condenáveis que beiram a criminalidade. Prova disso, é a abertura de processo de investigação, pelo Tribunal Internacional de HAIA, contra o presidente Bolsonaro, por “incitar o genocídio e promover ataques sistemáticos contra os povos indígenas do Brasil”.

Da forma que se encaminha e não mudando os rumos, o Lockdown é a única saída. A falta de Vacina, Testagem e de Auxílio Emergencial Digno agravam a situação econômica, pois somente estas medidas são capazes de restabelecer a melhoria das condições sanitárias permitindo que as cidadãs e cidadãos possam se resguardar e ou circular, o comércio funcionar e a pandemia ser contida.

Diante dessa conjuntura e com a pouca cobertura dos governos, entendemos que a sociedade civil, empresarial e política precisa se organizar para a busca e encaminhamento de ações que combata a pandemia e amenize seus efeitos sociais e econômicos. É nesse sentido que as entidades que abaixo assinam constroem esse movimento e intensificam esta luta.

Nós não temos dúvidas, que a realidade seria outra e não teríamos perdido tantas vidas se o Impeachment do Bolsonaro já tivesse acontecido.

Por isso NÓS REAFIRMAMOS:

#VACINA E TESTAGEM PARA TODA A POPULAÇÃO JÁ

#AUXILIO EMERGENCIAL DIGNO

#FORA BOLSONARO

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
[email protected]

Rafael Martinelli

Editor
[email protected]

Roberto Gomes

Diretor
[email protected]

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS