Segunda, 25 de MAIO de 2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook

opinião

Depósito foi feito às 12h54 desta sexta-feira na Caixa Federal

500 mil da Câmara já estão na conta da Prefeitura para crise do coronavírus; só falta revogar o aumento

por Rafael Martinelli | Publicada em 28/03/2020 às 11h34| Atualizada em 01/04/2020 às 12h59

Geraldinho Filho, diretor da Câmara de Viamão, faz um reparo ao artigo A meia verdade da ’devolução’ de dinheiro da Câmara; Revoga o aumento, presidente!, sobre os R$ 2 milhões que o legislativo vai devolver para a Prefeitura durante a crise do coronavírus.

Ele explica que o orçamento aprovado para o ano legislativo é de R$ 17.184,660, 50% do teto permitido pela Constituição Federal.

No artigo, escrevi:

 

A receita estimada para 2020 é de R$ 600 milhões. O Artigo 29-A da Constituição Federal prevê que, Viamão, com 255.224 habitantes, deve disponibilizar 6% desta receita para a Câmara.

São absurdos R$ 36 milhões.

Isso os vereadores sabem. Tanto que em 2019 o Legislativo gastou R$ 15 milhões, de uma receita de R$ 500 milhões de Viamão. Seguiu uma média que tem sido histórica, de 3%, que aplicada sobre a receita de 2020, representaria 18 milhões.

Isso os vereadores sabem. Tanto que em 2019 o Legislativo gastou R$ 15 milhões, de uma receita de R$ 500 milhões de Viamão. Seguiu uma média que tem sido histórica, de 3%, que aplicada sobre a receita de 2020, representaria 18 milhões.

Na conta da demagogia daria para ‘devolver’ R$ 18 milhões, ou nove vezes mais que os R$ 2 milhões anunciados pela atual mesa-diretora do legislativo. Os R$ 2 milhões serão uma verdade completa se a Câmara chegar ao fim do ano gastando esse valor a menos dos R$ 18 milhões, e não dos R$ 36 milhões.

 

Geraldinho garante que os R$ 2 milhões sairão dos R$ 17 milhões de orçamento. E manda ofício enviado ao prefeito Valdir Elias, o Russinho, no qual o presidente Dilamar de Jesus informa já ter feito o depósito de R$ 500 mil. Em anexo, a nota da TED.

Ao fim, retiro a expressão ‘meia verdade’, porque um quarto do dinheiro já foi depositado. E os vereadores tiveram a responsabilidade de não aprovar um orçamento no teto permitido – e sim metade dele.

Parabéns!

Agora só falta o presidente revogar o aumento nos salários dos vereadores, contrangedoramente aprovado em meio à pandemia, o que tratei nos artigos Vereadores sem vergonha de aumentar salários em meio à crise do coronavírus em Viamão e Projeto aumenta salário de vereadores de Viamão; o ’bolsovírus’.

Apelo mais uma vez a Jesus.

Cristiano Abreu

Redação, sugestão de pautas e redes sociais
51 9 9962 3023
cristiano@grupocg.com.br

Rafael Martinelli

Editor
rafael@grupocg.com.br

Roberto Gomes

Diretor
roberto@grupocg.com.br

Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web.
2016 - Todos os direitos reservados.

Rua Osvaldo Aranha, 43 - Sala 5 - 94410-630 - Centro - Viamão - RS