O mundo de Alice | O espelho e eu: minha própria companhia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram

Aqui nesse limbo, passeando por tudo que já fui, por tudo que sou e por tudo o que gostaria de ser e serei. Aqui, provando o amargo de minha breve existência, o doce de cada um de meus passos. O frio e o calor de ser tudo isso que sou. Sem ceder, sem reprimir, sem esconder.

Aqui, onde posso ser pequena ou grande. Aqui, onde ninguém me vê e sou minha única amiga. Aqui, no lugar de maior de intimidade do mundo. Aqui, onde toda palavra tem importância, conceito e sinônimo. Aqui, onde todo sentimento faz sentir e faz sentido.

Aqui, onde estou sozinha, mas acompanhada, e de alguma forma sou coberta por alguma compreensão divina, que só eu posso me dar. Aqui, no fogo cruzado onde não posso me evitar.

Aqui a céu aberto, onde não posso me esconder de mim mesma. Aqui, onde tenho medo, mas não sou covarde. Aqui, numa sala fictícia onde o único objeto é um espelho.

Aqui, onde estou me vendo por inteira e o que vejo é a graça e a poesia de tudo o que me compõem. Toda a felicidade e todo o desastre. O que sou e o que serei.

Vejo alguém acenando para mim de dentro do espelho: sou eu. Com todas as minhas dores tatuadas no meu corpo e no meu rosto. E do meu coração vejo sair uma luz forte: amor.

Vejo todos os meus defeitos, dos quais não posso me desfazer e nem negar. Vejo todas as vitórias de que posso me orgulhar e as alegrias de que posso me lembrar. E, finalmente, um corpo para abraçar.

Sou eu, me vejo sozinha na sala e percebo que sempre será assim. Eu e meu belíssimo e conturbado reflexo no espelho.

 

Com *AMOR*, Alice.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest

Conteúdo relacionado

Ana D’Avila | A indecisa

Ela tinha pouca opinião, muitas indagações e uma única e perturbadora incapacidade de decidir. Tudo para Luzia era dúbio. E por ser assim, tudo ficava confuso e difícil. Diz o

Leia mais »

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook