Paralisação de professores segue, pelo menos, até dia 31

Conforme a diretora-geral do 22º Núcleo do CPERS, Helena Maria Policeno dos Santos Grossmann, a greve geral dos professores deve continuar – pelo menos – até esta sexta-feira (31), quando acontece a assembleia geral da categoria.

Em Viamão, alguns grupos de professores que aderiram à paralisação irão participar amanhã da atividade que vai acontecer em frente ao Palácio Piratini, a partir das 13h. A mobilização contará também com os demais servidores que compõem o Movimento Unificado dos Servidores – MUS. O objetivo é o de pressionar os deputados para que votem contra as medidas do pacote do governo, que – segundo o CPERS – afrontam os direitos trabalhistas.

 

 

Na última semana, os grevistas que estavam acampados na Escola Farroupilha se depararam com a exposição de uma faixa contrária ao movimento.

A diretoria e comando de greve do 22º núcleo escreveu uma nota de repúdio a ação:

"Nesta quinta-feira, 23/03, as companheiras e companheiros que fazem mobilização em frente a Escola Farroupilha, com muitos educadores desta instituição, foram surpreendidos com a exposição de uma faixa contrária ao movimento, pedindo Fora Cpers, insinuando que professores fazem doutrinação marxista, entre outras acusações. 
Nossa luta seguirá firme e forte, não aceitaremos mordaça e nenhuma provocação nos fará recuar perante os ataques neoliberais de Temer e Sartori. Estas provocações, apenas reforçam nosso compromisso em levar esta luta até o final, com uma grande Greve Geral, que derrote as reformas e bote o governo Temer pra fora! Nos solidarizamos com as companheiras e companheiros envolvidos diretamente nesta situação, temos a convicção, que o ataque a um lutador, é um ataque a todos os trabalhadores e trabalhadoras desse país!"

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Elon Musk e o lítio da Amazônia

Seu encontro com o “capitão” suscitou debates sobre reservas brasileiras do minério, essencial à indústria de microchips e baterias. Inexploradas, poderiam gerar riquezas e soberania tecnológica. Mas nada prosperará sob

Leia mais »

Receba nossa NewsLetter

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook