Karatê Para Todos realiza a primeira troca de faixa

O exame foi realizado no Colégio Militar de Porto Alegre, no dia 29 de setembro. Fotos: PMV/DV

Foi realizada no fiknal do mês de setembro a primeira troca de faixa dos alunos do projeto social “Karatê Para Todos”, cujas aulas acontecem gratuitamente no Centro Municipal de Cultura e Esporte.

O exame foi realizado no Colégio Militar de Porto Alegre, no dia 29 de setembro, sob comando do Sansei Hélio Bandeira, 5º Dan.

O projeto social do aluno-instrutor Cristian de Souza (faixa marrom), e dos instrutores Julio Magno (faixa preta) e Felipe Godinho (faixa preta), iniciou em outubro de 2015 e tem o apoio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Smel), que cede o espaço e os tatames para o treino.

As aulas acontecem no Centro Municipal de Cultura e Esporte (rua dos Açores, 951, Tarumã), nas segundas e quartas-feiras, das 19h30min às 20h45min e aos sábados das 10h30min às 11h45min.

Souza explica que o projeto começou a partir da necessidade de um local para dar continuidade aos treinos de karatê e para atender às pessoas que tinham vontade de praticar uma arte marcial, mas não dispunham de condições de pagar uma academia.

— A realização deste projeto está sendo muito gratificante, mas o sucesso não vem só de mim, vem de todos que acreditaram que podia dar certo e de todos que se empenham para que o projeto continue — explica.

Para o karateca trocar de faixa, deve haver um tempo mínimo de treino para cada faixa e apresentar o treino técnico, aplicado na aula.

— Ele deve apresentar uma sequência de movimentos simulando defesa e ataque com mais de um adversário, chamados de "katas", no estilos Goju-ryu. Também é avaliada a conduta do alunos, o respeito com os colegas e professores — acrescenta Souza.

Os alunos Ângelo de Souza, Thiany Amaral e Pablo dos Santos fizeram o exame para a troca de faixas, de branca, para amarela. Agora eles fazem parte da FGK – Federação Gaucha de Karatê.

— Eles recebem recebem carteirinha, certificado e uma senha onde tem acesso a uma conta que é criada em nome dos atletas. Ser federado comprova que o atleta realmente prestou exame e está apto a passar para outro nível.

No mesmo dia, o aluno-instrutor, que era faixa roxa, também fez exame para passar para a faixa marrom. De acordo com Souza, as aulas seguirão com treino normal mesmo no período de férias (janeiro e fevereiro), sendo cancelado somente os treinos de sábado.

A idade mínima estabelecida para a prática do esporte é de sete anos e a máxima não há.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Elon Musk e o lítio da Amazônia

Seu encontro com o “capitão” suscitou debates sobre reservas brasileiras do minério, essencial à indústria de microchips e baterias. Inexploradas, poderiam gerar riquezas e soberania tecnológica. Mas nada prosperará sob

Leia mais »

Receba nossa NewsLetter

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook