Ana D´Avila | Era da Discórdia

A impressão que se tem é que a humanidade está travando uma guerra. Consigo e com os outros. De conhecimentos, de amizades, de descontentamento. Com tudo que se move na terra. Nesta semana, como se não bastasse a guerra global por domínio de espaço e dinheiro, vivencia-se mais estupidez humana. Não podemos evoluir sendo maus.

Não podemos querer ser felizes sem reconhecer que nem todos são iguais. As pessoas são diferentes. Os países são diferentes. Mas a ganância está em todo Planeta. Hoje em dia, neste salve-se quem puder em função do vil metal, as pessoas se degladiam. Se matam, se corrompem, vendem a alma.

A maior testemunha deste degladiar está nas redes sociais. Não sou de guerra. Sou da geração “paz e amor”. Mas mesmo assim sinto-me atingida. Parece que se você não for de guerra, está fadada a não ser reconhecida. Fora do contexto. Porque nas redes socias, as pessoas brigam, discordam, incomodam. Por que não compartilham coisas dignificantes? Em todo lugar a tônica é discordar.

Há um sadismo no ar. Parece que alguns tem necessidade de ferir os outros. Com maldades, com palavras ofensivas. A Internet e as redes sociais são maravilhosas quando bem dirigidas. Não é isto que vejo e sinto .Para completar, a  era da discórdia traz também para  dentro do eixo familiar,  muita discussão.

A maioria das vezes é por  dinheiro  , patrimônio, herança. O ser humano  com sua essência espiritual não mais interessa. Agora, o que interessa é o dinheiro,as aplicações, os investimentos, os cartões do banco, os pixs da vida e toda esta parafernália  econômica moderna no qual estamos inseridos. Será que não existe outra forma de convivermos pacificamente, senão levando vantagem. Senão massacrando nossos irmãos. Sinto que a humanidade está carente de amor, de líderes do bem e de fraternidade.

Desconfortada de ver tanta briga, recorri a um dos únicos lugares da cidade onde me sinto em paz e feliz: a cafeteria. Por incrível que pareça nem na cafeteria conseguimos nos distanciar dos desentendimentos. Café é tão salutar. Nos proporciona prazer e  reflexão. Através de uma gostosa xícara de café com leite, colocamos nosso cérebro no modo avião. Mas ali mesmo já  não existe  paz.

Testemunhei um senhor brigando com a atendente do lugar. Ele pediu café. Ela  disse a ele que era necessário primeiro fazer o pedido  no interior do estabelecimento. Ele ficou alterado. Seguiu-se uma discussão. Disse que não iria lá dentro fazer o pedido. Que ela lhe servisse primeiro. Nas mesinhas expostas na frente do café num lugar reservado e Vip.

A garçonete se irritou com aquele senhor, que parecia tão educado. Mas que de uma hora para outra, entrou num bate-boca acalorado com a moça. Estranho mundo da discórdia! Saí do café chocada. Sem sombra de dúvidas, entendi que a humanidade está sofrendo. O que causa toda esta nebulosidade ao meu ver, é o desequilibro do meio-ambiente e a desconexão do ser humano com o amor. O verdadeiro sentido da existência. Ninguém vai a lugar nenhum, derrubando árvores e odiando o semelhante. Muito menos armando brigas infundadas e cheias de ira. Peço paz !!! Muita paz!!!(Ana D´Avila)

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook