O Rei dos Trovadores: Gildo de Freitas ganha biografia completa

O jornalista e autor da biografia “Gildo de Freitas – O Rei dos Trovadores”, Juarez Fonseca, celebrou o lançamento do livro na Câmara de Vereadores de Viamão (CMV), durante essa semana. O evento fez parte das comemorações em homenagem ao centenário do nascimento do tradicionalista, que aconteceu no 19 de junho.

O evento reuniu artistas locais, fãs de Gildo e a comunidade viamonense. Os vereadores Guto Lopes (PSOL), Adão Pretto Filho (PT) e Rodrigo Pox (PDT) são os organizadores do lançamento.

– (No livro) Há uma reprodução da primeira grande reportagem feita com o Gildo, em 1982, portanto três anos antes do livro de 1985. Agregamos mais fotografias e 40 letras das 170 músicas que ele gravou. Também há uma parte sobre a trova nos dias atuais, que fiz com informações da Associação dos Trovadores Luiz Muller, que realiza festivais por todo o Estado, sendo que uma das modalidades é a trova Gildo de Freitas – fala Juarez Fonseca.

A obra

A biografia é uma ampliação da obra lançada em 1985 com o título “Esses Gaúchos – uma coleção de biografias de grandes nomes da história do Rio Grande do Sul”. O jornalista pesquisou artistas do Rio Grande do Sul, cuja obra teve forte influência para Gildo de Freitas.

– Há um depoimento de João de Almeida Neto que foi o primeiro artista do nativismo que cantou uma música de Gildo de Freitas (Definição do Grito). É importante lembrar, também, Ernesto Fagundes, músico nativista, que não tinha o estilo musical do Gildo, marcado pela trova, mas que gravou um disco inteiro com músicas do trovador. Dos nove discos que o Ernesto Fagundes gravou, o do Gildo é o mais vendido de todos – conta.

Juarez Fonseca afirma que Dona Carminha, viúva do artista homenageado, foi fundamental para a elaboração da obra. De acordo com o jornalista, toda a narrativa e história do trovador é contada por ela, com o texto enriquecido por depoimentos de pessoas que conheceram Gildo de Freitas, como Antônio Fagundes, Paixão Cortes, Ayrton dos Anjos (produtor de quase todos os discos do artista) e Luiz Menezes, um dos apresentadores de programa de rádio de música regional do Rio Grande do Sul, apresentado nos anos 1950 e 1960, onde Gildo teve a sua consagração.

Segundo o ex-secretário de cultura de Porto Alegre, Vitor Ortiz, Gildo de Freitas representa muito da cultura viamonense, que valoriza a cultura gaúcha:

– Este livro é um precioso trabalho de registro de informações para quem não teve a oportunidade de conhecer Gildo de Freitas. Recomendo a todos a leitura desta obra. O Juarez Fonseca é um crítico de música, estudioso e pesquisador, alguém que conhece muito e que fez um trabalho primoroso nesta publicação – diz Ortiz.

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa NewsLetter

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook