Páscoa: o que trazes pra mim?

Depois de um feriado de três dias corpo e mente demoram um pouco para voltar a rotina. Foram muitos chocolates degustados e muitas sonecas aproveitadas. A preguiça ainda se faz presente numa manhã chuvosa de segunda-feira. Mas o que a Páscoa trouxe para você? Independente da sua crença ou religião, o feriado santo vai além do coelhinho e as cestas de chocolate.

Para o povo judeu, as celebrações resgatam os momentos históricos vividos no Egito. As lembranças são do sofrimento da escravidão e das pragas executadas sobre os hebreus. Na religião judaica, a expressão “pessach”, que vem do hebraico, significa passagem e para os judeus é a grande celebração da Páscoa. O feriado santo comemora a libertação do povo da escravidão do Egito e começa bem antes do final de semana. Os familiares preparam-se espiritualmente, passando por um jejum com objetivo de homenagear os jovens que não resistiram as últimas pragas do Egito.

Para os historiadores, as pragas do Egito foram maldições lançadas por Deus para castigar os Faraós e o povo que o servia. Os registros em livros históricos relatam mortes de primogênitos, sangue na água potável, escravidão e doenças. Com o intuito de relembrar os antepassados, os judeus preparam o cardápio da Pessach conforme as comidas típicas da época e, para cada prato, um significado. O ovo cozido, chamado beitzá, é um símbolo do luto pela destruição do Templo de Jerusalém. A matzá ou pão ázimo não tem fermento, pois os judeus não tiveram tempo de esperar o pão fermentar quando saíram do Egito. Outro prato típico é o Guefilte Fish, bolinho feito com peixes de água doce, comido na Páscoa e no Ano-Novo. Outra presença ilustre são as crianças, elas participam de todos os rituais, pois tem a responsabilidade de preservar a tradição.

A Páscoa cristã é a mais conhecida. Comemora-se a ressurreição de Jesus Cristo, o filho de Deus que foi enviado à Terra para evangelizar o povo. Neste feriado religioso as celebrações começam 40 dias antes, também há um preparação espiritual. Alguns cristãos efetuam promessas e ficam até sem comer carne vermelhas, chocolates ou bebidas alcoólicas. No domingo anterior, os adeptos do cristianismo relembram os últimos passos de Jesus, como a chegada dele a terra prometida, sendo recebido pelo povo com ramos. De quinta em diante, começam as celebrações do lava pés, a encenação da crucificação até a ressurreição. A Páscoa para os cristãos é motivo de alegria, já que o mestre renasceu da morte e encontra-se entre nós.

A Doutrina Espírita também celebra a nova vida. Para os adeptos do espiritismo, a Páscoa é um momento de reflexão diante de toda dor e sofrimento que passou Jesus Cristo. Muito além das reuniões familiares, fica a promessa de perdão entre os irmãos. Pois, o maior ensinamento de Cristo foi na cruz, quando perdoou os irmãos que não sabiam o que estavam fazendo ao crucificá-lo.

E aqui me pergunto: o que a Páscoa trouxe para você? Muitos chocolates? Algumas taças de vinhos? Ou uma boa perspectiva do que foi feito? Reflita. Utilize este tempo para renovar as energias, os pensamentos e os atos. Não espere a próxima Páscoa para decorar a sua vida com mais amor e compaixão.

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Elon Musk e o lítio da Amazônia

Seu encontro com o “capitão” suscitou debates sobre reservas brasileiras do minério, essencial à indústria de microchips e baterias. Inexploradas, poderiam gerar riquezas e soberania tecnológica. Mas nada prosperará sob

Leia mais »

Receba nossa NewsLetter

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook