CUPELICIAS: A paixão por doces virou negócio

Os melhores negócios são aqueles que começam despretensiosamente, instigados pelo talento e que crescem pela qualidade do serviço ou produto. E foi justamente assim que aconteceu com a empresária Caroline Menezes Osório, de 34 anos, que hoje é a proprietária de Cupelícias da Carol.

Ela será a primeira, da série de entrevistas que o Diário irá fazer nos próximos meses com os pequenos negócios que deram certo em Viamão.

Com opções variadas, atualmente ela e sua equipe – que conta com dois funcionários – produzem em média quatro mil doces semanais, além bolos artesanais e cupcakes. Apesar de ser do município, Carol tem a sua maior clientela em Porto Alegre. Entre eles, as principais casas de festas infantis e universidades como a PUCRS. 

A história de Carol com o mundo da confeitaria começou há oito anos, quando ainda trabalhava na capital. Ela decidiu fazer alguns doces para vender no trabalho. Cozinheira de mão cheia e apaixonada por culinária desde sempre, o negócio cresceu em pouco tempo. Foi então que ela e o marido decidiram largar tudo para apostar no talento que vem de família.

— Eu sempre gostei de preparar doces e minha família toda sempre foi de por a mão na massa. Com o negócio crescendo e os filhos chegando, decidimos que seria melhor nos focarmos na venda dos doces. Assim, poderíamos conviver mais com as crianças e eu iria trabalhar com o que mais amo.

Há dois anos, com o crescimento da Cupelicia, Carol precisou mudar para outra casa que tivesse um espaço amplo para receber sua cozinha, contratou funcionários e hoje já pensa em nova expansão.

— Gostaria muito de abrir uma loja aqui em Viamão. Para ter doces a pronta-entrega e também receber encomendas. Seria um sonho. Acredito que em um futuro próximo consiga realizar. 

Diferencial é a personalização

Carol diz que faz de tudo para agradar o cliente. Por isso, cada pedido é um desafio. Na fanpage da Cupelicias no Facebook, é possível conferir um pouco melhor a delicadeza e criatividade do trabalho.

— Eu fiz um curso de modelagem de pasta americana para auxiliar na criação. Temos já milhares de doces, cupcakes e bolos no nosso catálogo. Mesmo assim, sempre recebemos algo novo, que nunca fiz. Mas fizemos de tudo para atender ao desafio — diz. 

 

Confira um trecho da entrevista com Caroline Menezes, criadora do Cupelícias da Carol:

 

 

 

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Elon Musk e o lítio da Amazônia

Seu encontro com o “capitão” suscitou debates sobre reservas brasileiras do minério, essencial à indústria de microchips e baterias. Inexploradas, poderiam gerar riquezas e soberania tecnológica. Mas nada prosperará sob

Leia mais »

Receba nossa NewsLetter

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook