Escola na Augusta terá espaço para denúncias de violência

“Acordei de repente com um forte estampido dentro do quarto. Abro os olhos. Não vi ninguém. Tentei me mexer, mas não consegui. Imediatamente fechei os olhos e um só pensamento me ocorreu: “Meu deus, o Marco (meu marido) me matou com um tiro”.    

Este é o relato da farmacêutica cearense Maria da Penha Maia Fernandes, vítima de tentativa de assassinato pelo próprio marido, que virou o marco mais importante da história das lutas femininas brasileiras e também é nome da lei brasileira contra a violência doméstica.

Em 1983, enquanto dormia, recebeu um tiro do então marido, Marco Antônio Heredia Viveiros, que a deixou paraplégica. Depois de se recuperar, foi mantida em cárcere privado, sofreu outras agressões e nova tentativa de assassinato, também pelo marido, por eletrocução. Procurou a Justiça e conseguiu deixar a casa, com as três filhas.

A luta da Maria da Penha é coibir e prevenir a violência doméstica e familiar contra a mulher. Este também é o objetivo do Serviço de Informação à Mulher (SIM) que foi lançado hoje, dia 17 de maio, em Viamão, e visa oferecer um espaço adequado dentro da escola, que proporcione um ponto de encontro para as moradoras da comunidade buscarem informações sobre os seus direitos, principalmente para aquelas que estão em situação de violência doméstica.

O lançamento foi realizado na EMEF Luciana de Abreu e contou com a presença do secretário de Educação, Carlos Bennech e da secretária de Cidadania e Assistência Social, Maria Rita Cardozo, além da coordenadora da Coordenadoria da Mulher, Bruna Garcia.

Para o secretário, é através da educação que será possível discutir e sensibilizar a respeito do tema: “Eu creio que somente através da educação teremos o poder de escolha. Hoje é um dia muito importante, porque a mulher tem a força em uma sociedade e deve ter acesso ao que é dela por direito. Parabéns pela iniciativa!”

Maria Rita reforçou sobre o trabalho realizado pela secretaria e os benefícios que o SIM pode trazer para Viamão: “É de extrema importância o trabalho realizado pelo programa. Tenho certeza de que vamos conseguir ajudar muito e coloco a secretaria à disposição.”

 

Sobre o projeto

 

– O posto de atendimento tem como propósito facilitar e ampliar a acolhida e o encaminhamento de casos de violência física, psicológica, maus tratos e todos os tipos de abusos contra as mulheres.

– O Projeto terá início na região das Augustas, na Escola Luciana de Abreu, devido uma análise do ''Serviço de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência Doméstica de Gênero'', que constatou a região com maior índice de violência de gênero.

– O projeto será executado de forma quinzenal, das 8h às 11h.

– A EMEF Luciana de Abreu está localizada na rua Dário Gonçalves Molho, s/n parada 18, Augusta. Mais informações: 34859879

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa NewsLetter

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook