Ygua e as caricaturas de alma uruguaia

Ruben com o filho Álvaro, que também é caricaturista

A história do uruguaio Ruben Ygua não cabe nos seus 61 anos de vida. Morador dos pampas desde 1982, ele já passou por diversas cidades, mas fixou residência – e coração – em Viamão, onde vive desde os anos 90 com a família. Levado pelo talento, logo descobriu a profissão que seguiria pelo resto da vida. Ruben foi um dos primeiros caricaturistas da Capital. Já teve na ponta do lápis artistas como Hebe Camargo, Ivete Sangalo e Tom Cavalcante.

— Desenho desde criança. Fui trazido para o Rio Grande do Sul por uma agência de propaganda que já não existe mais. A agência tinha prometido muito e na verdade foi uma decepção, porque não pagavam bem, me levavam na conversa pelos documentos e eu já tava pensando em ir embora. Foi neste momento que me deparei com aquilo que iria mudar a minha vida. Em Porto Alegre não existiam caricaturistas, tinha um monte de caras querendo imitar um senhor que fazia retratos em lápis: o professor Brilhante, que com o tempo acabou virando um bom amigo meu. O problema dos retratos era que demoravam muito para serem feitos e cobravam muito barato. Desse jeito seria impossível viver da arte, como todos reclamavam o tempo todo — conta.

Eis que surgem os primeiros passos de Ruben como caricaturista.

— Lembro que uma vez comentei que pretendia fazer caricaturas na hora e um desses desenhistas riu da minha cara, dizendo: Isso é coisa de “castelhano”, ninguém vai sentar na tua frente pra que tires sarro da cara dele. Como eles estavam errados, desde o início foi um sucesso.

Ruben fez os seus primeiros trabalhos na Expointer, em 1982. Ele conta que chegava a fazer até 30 caricaturas por dia.

— Na época eu demorava em torno de 15 minutos para fazer cada caricatura, hoje demoro um minuto por pessoa. Resumindo, larguei o emprego na agência, e comecei a trabalhar de forma autônoma. O Iguatemi, que acabava de inaugurar naquele ano, me descobriu numa feira do livro de Porto Alegre, onde eu fazia caricaturas no estande da enciclopédia Britannica. Trabalhei mais de 10 anos no Iguatemi e, a partir daí, meus desenhos ficaram conhecidos no Estado. Depois, fui contratado pelo shopping Praia de Belas e pelo Moinhos Shopping. Com os anos, aqueles que riram de mim, começaram a tentar imitar meu estilo de trabalho, dessa forma surgiu um monte de caricaturistas na cidade.

 

Foto histórica: em 1982 – Ruben no Iguatemi

 

Caricaturas dos famosos

Com o bom trabalho desempenhado, Ruben cruzou as fronteiras do Estado e foi levado para eventos em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Curitiba e Montevidéu. O ápice foi a participação no programa de Hebe Camargo, no ano 2001.

— Lembro que a Hebe Camargo me levou para seu programa. Lá pude fazer a caricatura dela e da Ivete Sangalo, que estava participando do programa.  Depois disso, também pude desenhar os músicos do Jô Soares, o músico Borguettinho e o Tom Cavalcante. Tudo acontecia meio que de surpresa, eu tava no local – geralmente em shopping – com meus desenhos, aguardando clientes, e de repente me aparecia um famoso. Como o Tom, que desenhei numa tarde no Praia de Belas. Uma vez perdi a oportunidade de conhecer o cantor Ed Motta. Eu estava no banheiro quando ele e dois amigos ficaram olhando meus desenhos. Quando voltei ele já tinha ido embora, as gurias das lojas ficaram loucas me contando. Muitos dos artistas eu fiz antes da invenção dos celulares com câmeras e não tenho foto. Lamento muito por isso — diz.

Com o estouro da internet, Ruben pode expandir o seu trabalho para o mercado mundial. Hoje, ele divulga seu trabalho apenas nas redes sociais e em algum evento ocasional.

— Além do Brasil, meus desenhos vendem bem na Espanha, Estados Unidos e México. Por incrível que pareça, não consigo abrir mercado na Argentina, nem Uruguai, minha terra natal. Para driblar a crise que desde 2011 castiga o Brasil, mantive congelados os preços assim como o cachê para eventos. Por isso, as firmas se retraíram muito nos eventos e as vendas particulares salvaram o meu trabalho. Costumo fazer promoções nos meses mais parados, como fevereiro, e dessa forma vou levando o “carrinho” adiante.

 

Brique da redenção

 

Ruben escritor

E o talento não se restringe apenas às caricaturas, Ruben também faz trabalhos de publicidade e, nas horas vagas, também escreve.

— Sou historiador de profissão, por incrível que pareça. Tenho vários livros meus a venda no site Amazon.

Para a alegria de Ruben, um de seus três filhos, que é casado e hoje vive em Novo Hamburgo, herdou o seu talento decidiu seguir os mesmos passos do pai.

— Meu filho Álvaro também trabalha como caricaturista, às vezes fazemos eventos em equipe. Ele está fazendo nome como artista naquela região.

— Além dele tenho mais dois filhos (mas mora comigo apenas um), dois gatos e um aquário — brinca Ruben, que vive com a esposa na Viamópolis.

Capas de alguns dos livros de Ruben

 

 

O campeão de vendas, segundo Ruben

 

Confira alguns trabalhos:

 

 

Quem quiser contatar Ruben Ygua pode enviar e-mail para [email protected]

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Elon Musk e o lítio da Amazônia

Seu encontro com o “capitão” suscitou debates sobre reservas brasileiras do minério, essencial à indústria de microchips e baterias. Inexploradas, poderiam gerar riquezas e soberania tecnológica. Mas nada prosperará sob

Leia mais »

Receba nossa NewsLetter

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook