Conheça LPs que comemoram 30 anos em 2017

Bad consolidou Michael Jackson como um dos maiores artistas nos anos 80

Mesmo com três décadas eles continuam fazendo sucesso

 

Há 30 anos a indústria fonográfica nacional e internacional entregava aos fãs os – hoje desconhecidos – Long Plays, ou LPs como eram chamados os famosos bolachões pretos, de vinil, que se tornariam clássicos e que fazem sucesso até hoje.

Na época, um seleto grupo de artistas conseguia contrato com gravadoras. Comparado aos dias atuais, era mais difícil ganhar visibilidade entre o público, pois o rádio e a televisão eram os principais divulgadores dos lançamentos musicais.

Atualmente, com a internet popularizada e apenas alguns cliques e downloads, os internautas têm acesso a centenas de músicas e clipes lançados quase que instantaneamente na rede de computadores por aspirantes, músicos e intérpretes de várias partes do mundo, mas que nem sempre conseguem se manter por muito tempo nas paradas de sucesso.

A seguir, alguns álbuns que, apesar de três décadas, continuam tão celebrados quando foram na época de lançamento, lá no distante ano de 1987.

 

Discos que completam 30 anos em 2017

 

Bad – Michael Jackson

Bad consolidou Michael Jackson como um dos maiores artistas nos anos 80. Este álbum inclui os sucessos “I Just Can’t Stop Loving You”, “Bad”, “The Way You Make Me Feel”, “Man in the Mirror” e “Dirty Diana”.

 

Appetite For Destruction – Guns N’ Roses

Álbum de estreia do Guns N’ Roses, considerado um dos mais importantes trabalhos da história do rock, está na lista de 200 álbuns definitivos do Hall da Fama do Rock. Inclui sucessos como “Welcome to the Jungle”, “Sweet Child O’ Mine” e “Paradise City”.

 

The Joshua Tree – U2

Quinto álbum do U2, chegou ao topo das paradas em mais de 20 países. Contém os hits “With or Without You”, “I Still Haven’t Found What I’m Looking For” e “Where the Streets Have No Name”. O trabalho ganhou os prêmios Grammy de Álbum do Ano e Melhor Performance de Rock em 1988.

 

Que País É Esse – Legião Urbana

Terceiro álbum da Legião Urbana, com várias músicas do Aborto Elétrico, teve sucessos como a faixa-título, “Faroeste Caboclo” e “Angra dos Reis”. O disco vendeu mais de um milhão de cópias, sendo premiado com o Disco de Diamante da ABPD.

 

Jesus não Tem Dentes no País dos Banguelas – Titãs

O quarto álbum do Titãs teve experimentações com música eletrônica e influências do funk rock, sem deixar de lado o Rock e as letras politizadas com protestos. Músicas como “Lugar Nenhum”, “Diversão”, “Desordem” e “Comida” estão entre os grandes sucessos do álbum.

 

A Momentary Lapse of Reason – Pink Floyd

Álbum do Pink Floyd sem Roger Waters com faixas escritas por David Gilmour em parceria com Anthony Moore, a faixa “Learning to Fly” foi o grande destaque.

 

Independência – Capital Inicial

Independência foi o segundo álbum do Capital Inicial, marcou a entrada do tecladista Bozo Barretti no grupo e projetou a banda no cenário do Rock brazuca 80. A faixa-título foi o grande sucesso do álbum.

 

A Revolta dos Dândis – Engenheiros do Hawaii

Álbum que marcou a estreia do guitarrista Augusto Licks no Engenheiros do Hawaii, enquanto Humberto Gessinger ficou encarregado do baixo. Os grandes sucessos são a faixa-título, “Terra de Gigantes” e a clássica “Infinita Highway”.

 

Kiss Me, Kiss Me, Kiss Me – The Cure

O sétimo álbum de estúdio do The Cure chegou aos topos das paradas e ajudou o grupo a entrar no mainstream nos Estados Unidos. Os singles “Just Like Heaven”, “Why Can’t I Be You?” e “Hot Hot Hot!!!” foram as faixas de maior sucesso.

 

Clique na imagem e confira o clipe oficial de “Que país é esse”, do Legião Urbana.

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa News

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook