E a chuva levou tudo Feijó abaixo

Cerca de 500 famílias foram atingidas e 50 estão desabrigadas em Viamão

Região do Arroio Feijó foi castigada pelo temporal de terça para quarta – estragos ainda estão sendo contabilizados. Cerca de 500 casas foram atingidas e mais de 50 famílias estão desabrigadas

 

O calor forte e a chuva de quase um mês colocaram pelo menos cinco bairros e vilas da região dos arroios Feijó e Fiúza em estado de calamidade na noite de terça para quarta-feira. Segundo a Defesa Civil do município, cerca de 500 casas foram atingidas – ou pela enchente ou pela enxurrada que veio depois.

Cerca de 50 famílias perderam tudo e vão passar a noite em abrigos improvisados em escolas ou na casa de parentes.

A Augusta foi o bairro mais atingido. Lá, cerca de 350 famílias viveram momentos de drama e sufoco com as águas que levaram muros, paredes, eletrodomésticos e até carros para o leito do arrio Feijó. Na Cecília, Gaúcha, Santo Onofre e Martinica também registraram estragos e desabrigado, embora em menor número.

– Foi uma chuva atípica. Em uma hora, choveu o equivalente a 86% do que deveria chover no mês todo – conta o engenheiro Nilton Magalhães, secretário de Gestão do Governo.

Ele foi o escalado pelo prefeito André Pacheco para acompanhar os estragos e o coordenar o auxílio aos atingidos.

Segundo a CEEE, em Viamão, 8,3 mil pontos ficaram sem luz devido aos ventos que acompanharam o temporal até a madrugada. 12 equipes da companhia trabalham nos reparos à rede para restabelecer o fornecimento de energia ainda hoje em toda a cidade.

 

Obra para resolver a vazão do Feijó está em andamento

 

Nilton Magalhães disse, ainda, que o governo vem investindo na drenagem, limpeza e regularização da vazão do Arroio Feijó.

– É uma obra de cerca de R$ 10 milhões. Infelizmente, não ficou pronta para conte esse evento atípico.

Muros de contenção e um canal estão sendo construídos bem onde o Arroio Feijó cruza a Augusta. Os trechos em obras acabaram sendo os mais atingidos.

– Não foi só o arroio que encheu. O pátio das pessoas alagou. Tanto que carros foram arrastados pela correnteza em cima das ruas – conta Nilton.

– Temos o relato de que três deles caíram no arroio e foram represados numa ponte. Isso ajudou a segurar a água, que acabou subindo muito.

 

Rua Oriente: queda do saibro

 

Na Rua Oriente, no bairro Martinica, a chuvarada levou o saibro recém colocado na rua para dentro de casas, derrubando muros e se espalhando pelo pátio. De acordo com a morada Beatriz Toledo, que vive há 30 anos no local, os moradores tentaram impedir que o saibro fosse posto na via ontem pela manhã.

– Toda a vez que se coloca saibro é a mesma coisa: para tudo nas nossas casas.

Ela diz que cerca de 10 casas foram atingidas.

Para a rua Oriente, o engenheiro Nilton Magalhães informou que hoje a Prefeitura mando uma máquina e um caminhão até o local retirar o excesso de saibro da rua.

– É uma linha de ônibus e se costuma recuperar essas vias com saibro. Ao longo do tempo, no entanto, se formou um acúmulo de cerca de 80 cm ali. Estamos fazendo o recorte desse saibro e retirando de lá.

 

Equipes trabalham na limpeza e famílias pedem doações

 

Segundo a Defesa Civil do Município, cinco equipes de limpeza atuam na região do Feijó e do Fiúza para limpar o lixo acumulado com a enchente e ajudar as famílias com maiores necessidades – além do pessoal que está na Rua Oriente.

A Prefeitura informou há pouco que os desabrigados precisam de colchões, água, produtos de limpeza e comida. Quem quiser ajudar, pode procurar as seguintes escolas municipais onde há famílias alojadas:

– EMEF Luciana de Abreu – Rua Dário Gonçalves Milho, s/nº – Augusta. Telefone 3435.2146

– EMEF Alberto Santos Dummont – Rua Guararapes, s/nº – Gaúcha.

– EMEI Santa Cecília – Rua Plácido Mottin, s/nº

– EMEF Alberto Pasqualine – Rua Casemiro de Abreu, 385. Telefone 3493.1919

– EMEF Recanto da Lagoa – Rua Lagoa Mirim, s/nº. Telefone: 3446.0000

Também é possível entrar em contato diretamente com a Defesa Civil através dos telefones 3485.1769, 98629.5922 ou 156.

 

Confira, na galeria a seguir, imagens dos alagamentos na Gaúcha, na Martinica, na Augusta e no Jardim Universitário:

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa NewsLetter

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook