Hospital Viamão irá suspender paralisação na segunda

Repasse de pouco mais de R$ 4 milhões suspense paralisação

O Instituto de Cardiologia Hospital Viamão irá retomar todos os serviços eletivos que estavam paralisados desde o início do ano devido à falta dos repasses financeiros por parte do Governo do Estado. A suspensão da paralisação irá acontecer por que o governo do Estado repassou, nesta terça-feira (17), R$ 148 milhões para os hospitais do Rio Grande do Sul.

Deste total, R$ 50 milhões foram destinados ao cumprimento de ações judiciais impetradas por hospitais e prefeituras. Também foi quitado o pagamento dos incentivos estaduais correspondentes ao mês de outubro de 2016, no valor de R$ 26 milhões.

Segundo o administrador do Hospital Viamão, Fernando Becker, foi repassados pouco mais de R$ 4 milhões para a conta do hospital.

— Com o repasse, iremos informar hoje o Estado da retomada dos serviços e, a partir de segunda-feira, serviços de laboratório, traumato, neuro, radiologia, tomografia e cirurgias eletivas já vão estar, novamente, à disposição dos pacientes.

Apesar do pagamento, segundo Fernando, o Estado ainda tem em aberto uma dívida de mais de 12 milhões com o hospital.

Repasse era para ter sido feito nos dias 9 e 13

Conforme o Diário divulgou, a informação repassada à administração era de que parte do valor devido seria pago nos dias 9 e 13 de janeiro. Como isso não aconteceu, a paralisação foi mantida.

Abraço ao hospital acontece amanhã

Acontece amanhã o ato simbólico de abraço ao hospital organizado pelos vereadores Evandro Rodrigues (PSDB) e Diego Santos (Dieguinho – PSD). O objetivo é sensibilizar as autoridades para os problemas que o local vem enfrentando com a crise financeira do Estado. Para quem quiser participar, a ação irá acontecer às 17h30, em frente ao hospital.

LEIA TAMBÉM

Hospital Viamão deve suspender paralisação na sexta

Vereadores planejam "abraço" ao Hospital Viamão

Sem grana, hospital Viamão padece

 

Participe de nossos canais e assine nossa NewsLetter

Compartilhe esta notícia:

Facebook
WhatsApp
Twitter
LinkedIn
Pinterest

Conteúdo relacionado

Receba nossa NewsLetter

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Facebook